Produções de cinema de Cuba serão exibidas no Festival

No intuito de proporcionar um diálogo multicultural sul-americano, o Festival América do Sul esta tendo diversas atividades envolvendo os povos e culturas dos países vizinhos. Entretanto, a programação contempla também produções além dos limites geográficos, mas que retratam a alma latina.

Dentre as obras cinematográficas, as produções cubanas ocupam diversos horários, mostrando a realidade da ilha comandada por Fidel Castro e família, e proporcionando intercâmbio entre os contextos. As exibições acontecem no Instituto Educacional e na Praça da Independência.

Hoje, 30 de abril, às 10h, o filme exibido no Espaço Educacional será “Memória do Subdesenvolvimento”, dirigido por Tomás Gutierrez Alea. Com 97 minutos, a obra de 1968 mistura ficção com doses documentais para contar a história de Sérgio, um homem de 38 anos que fica sozinho na capital cubana, Havana, depois que seus pais e esposa fogem para os Estados Unidos. O passeio pelas ruas de Havana mostra ao espectador um retrato contundente e poético da Cuba logo após a revolução de 1960, que colocou Fidel no poder.

Também dirigido por Tomás Gutierrez Alea, “Guantanamera” é uma comédia de 105 minutos, que retrata a história de uma velha cantora de ópera, que fez fortuna fora de Cuba. No início dos anos 1990, a artista retorna à sua terra natal para morrer nos braços de uma antiga paixão.

Ao mesmo tempo, a personagem participa, sem intenção, do primeiro teste em um bizarro esquema de rodízio para economizar combustível nos funerais organizados pelo marido de sua sobrinha. “Guantanamera” será exibido na Praça da Independência, às 19h do dia 1° de maio.

No dia 2 de maio, às 20h30, o Festival América do Sul apresenta “Habana Blues”, um musical de 2005 dirigido por Benito Zambrano. No filme, dois músicos cubanos sonham em ficar famosos e saírem da capital cubana. Ao mesmo tempo em que Ruy e Tito preparam seu primeiro show, eles acabam descobrindo que dois produtores espanhóis estarão recrutando talentos cubanos. O filme será exibido na Praça da Independência.

Fechando a lista de produções cubanas, “Vampiros en la habana” é um filme de animação produzido em 1985 por Juan Padrón e mostra uma alternativa aos conhecidos personagens assustadores, que sugam o sangue de suas vítimas e transformam-se em morcegos.

Na obra, um cientista – que também é vampiro – cria uma poção chamada Vampisol, que permite aos vampiros passear à luz solar. Em busca da nova maravilha da ciência, vampiros europeus, a máfia de vampiros norte-americanos e Pepito, um revolucionário e trompetista, vão até Cuba a caça da poção. O filme desenrola-se durante a ditadura de Gerardo Machado.

“Vampiros en la habana” será exibido no último dia do Festival América do Sul, às 20h, também na Praça da Independência. A programação de cinema inclui ainda produções locais, curtas-metragens, documentários e produções consagradas do cinema internacional.

O Espaço Educacional está localizado na rua Delamare, 1.557, no Centro. (Assessoria FAS)