Oficina capacita artesãs a trabalhar com fibras de taboa

 Prefeitura de Corumbá

  

 Capacitação começou ontem no Eco-Parque

A Prefeitura Municipal de Corumbá, através da Fundação Especial de Cultura e Turismo, está capacitando artesãs dos bairros Cervejaria e Beira Rio para trabalhar com a fibra da taboa, planta aquática típica de brejos, manguezais e várzeas e que tem aparecido em grande volume nas margens do rio Paraguai. Artesãos do projeto Arteboa, de Rio Brilhante, estão no município passando novas técnicas de manuseio da matéria prima às mulheres da região.

O curso é coordenado pela Superintendência de Cultura de Corumbá e terá duração de 15 dias. As aulas acontecem no Eco-Parque Cacimba da Saúde, na Cervejaria. “A taboa não é uma planta típica da nossa região, mas a incidência dela aqui tem aumentado muito. Além de ajudar neste controle ecológico, o artesanato feito com a fibra dela é uma ótima alternativa de geração de renda para estas mulheres”, explicou Heloisa Helena da Costa Urt, superintendente de Cultura do município.

Além de servir como fonte de renda, o material produzido a partir da taboa ajuda a resgatar a história da região sul-mato-grossense. “Buscamos manter a tradição dos índios Kaiowás e Guaicurus”, disse Ângelo Segovia, um dos artesãos do Arteboa. “Este tipo de arte tem uma aceitação muito grande, até mesmo fora do país”, complementou. O curso começou nesta segunda-feira pela manhã.

A partir da fibra vegetal podem ser confeccionados bancos, bandeja, fruteiras, descanso de panelas, mandalas, mesas, porta copos e vários outros produtos personalizados. Em Corumbá, as artesãs produzem uma manta ecológica biodegradável utilizada para o reflorestamento das áreas de mineração.