Festival deve atrair mais de 100 mil pessoas em Corumbá

 Prefeitura de Corumbá

  
Estrutura já está sendo montada em Corumbá

O Pantanal de Mato Grosso do Sul, em Corumbá, município, entre os dias 29 de abril a 3 de maio, cede espaço de sua rica fauna e flora, para abrigar a cultura da Argentina, Bolívia, Equador, Colômbia, Chile, Venezuela, Uruguai, Paraguai, Peru e Brasil. Trata-se da sexta edição do Festival América do Sul, que reúne amostras de artistas ligados à música, dança, teatro, cinema, artes plásticas, artesanato, literatura.

Os organizadores estimam que os espetáculos serão assistidos por mais de 100 mil pessoas. Ao contrário dos anos anteriores, não haverá cobrança de ingressos. O evento é uma realização do Governo de Mato Grosso do Sul e Prefeitura Municipal de Corumbá.

O Palco das Américas, o Palco Brasil e o Pavilhão do Artesanato serão montados na principal praça da cidade, a Generoso Ponce, que será transformada num grande painel cultural. “Esta edição oferece uma programação bastante diversificada, com expressões da cultura de nove países que participarão do festival. Corumbá vai viver momentos inesquecíveis”, afirma o presidente da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, Américo Calheiros.

No último dia 7, o governador do Estado de Mato Grosso do Sul, André Puccinelli, e a diretora-presidente da Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul e do Fórum Nacional de Secretários de Turismo, Nilde Brun, estiveram em São Paulo, para o lançamento de projetos nas áreas de turismo e cultura, que serão desenvolvidos nos próximos meses no Estado, com destaque para o Festival América do Sul.

O evento foi realizado no auditório Simón Bolívar, no Memorial da América Latina e foi prestigiado por aproximadamente 700 pessoas. O cantor Almir Sater foi a atração principal. Com suas canções, ele conseguiu levar toda platéia às belas paisagens de Mato Grosso do Sul, por meio de músicas como Trem do Pantanal, Chalana, Tocando em Frente e belas demonstrações instrumentais de chamamé, ritmo típico da região pantaneira e da fronteira com o Paraguai. “Acho muito importante participar de eventos como este, que vem a contribuir com o nosso Estado. Espero que mais empresas invistam no turismo em Mato Grosso do Sul, que mais turistas vão para lá, mas não sem deixar de preservar o santuário que é o nosso Pantanal”, destacou.

Programação

Com entrada franca, as atrações musicais nacionais e internacionais do 6º Festival América do Sul são: Elza Soares (29 de abril), Zeca Baleiro (30 de abril), Maria Rita (1º de maio), Paralamas do Sucesso (2 de maio), Luiz Melodia (3 de maio), La Secreta (Paraguai), Pedro La Colina (Chile), Wayramanta (Peru) e Orquestra Típica de Tango “De Puro Guapos” (Argentina).

As atrações musicais locais ficam por conta de Madioca Loca, Facas Voadoras, Banda Grass, Tostão e Guarany, Erick e Roger Batista Benites. As atrações de dança, teatro e circo serão apresentadas pelo grupo de dança folclórica Caporales (Bolívia), Grupo Tá na Rua, Cia Ânima de Teatro e Performance (RJ), Duo Ângelo Madureira e Catarina (SP), Solo Paula Águas (RJ) mais os artistas de rua independentes. Entre as atrações locais estão Grupo Teatral Flor e Espinho, Associação Cultural Fulano Di Tal, Cia das Artes, Cia Dançurbana e CTG Chama Crioula.

Com relação ao cinema, serão exibidos vídeos que compõe o acervo Memorial da América Latina (SP). Entre eles, estão previstos Amores Perros, de Alejandro Gonzaléz Inarritu; Zona do Crime, de Rodrigo Plá; Guantamera, de Tomás Gutierrez Aléa; Vampiros em La Habana, de Juan Padrón e Memórias do Subdesenvolvimento, de Tomás Gutierrez Alea. Também serão exibidos os filmes Iluminados por El Fuego, de Tristan Bauer; Diários de Motocicleta, de Walter Salles e Habana Blues; de Benito Zambrano.

Outra grande atração do 6º Festival da América do Sul será a oportunidade de “bater um papo” com o jornalista Sérgio Cabral. Um dos criadores de “O Pasquim”, ativista no tempo da ditadura militar, Sérgio Cabral é autor de várias obras na área da música e cultura brasileira, como o livro “Grande Otelo – uma biografia” e “Pixinguinha – vida e obra”.

Nas artes plásticas, estão previstas exposições de artistas da Argentina, Bolívia, Chile, Uruguai e Brasil. Entre as amostras confirmadas está “A Trama do Tempo, do artista uruguaio Juan Muzzi. Por do meio do Memorial da América Latina, o público presente também poderá observar a Mostra de Croquis de Oscar Niemeyer, que compreende cadernos expostos do arquiteto, sob a curadoria de Rodrigo Queiróz.

Importância

Nas cinco primeiras edições do Festival América do Sul, de 2004 a 2008, foram registrados cerca de 600 mil espectadores, entre artistas, intelectuais, pensadores, autoridades governamentais, turistas, estudantes e a comunidade dos municípios de Corumbá e Ladário, em Mato Grosso do Sul e Puerto Quijarro e Puerto Suarez, na Bolívia.

“Nessa edição temos várias mudanças: em relação à infra-estrutura e ao espaço, teremos uma nova concepção. A grande tenda no porto geral de Corumbá deixa de acontecer e nos vamos concentrar a maioria das atividades na praça Generoso Ponce, com dois grandes palcos: palco das Américas e palco Brasil, no mesmo perímetro. Ali também teremos o Pavilhão de Artesanato e a utilização, no porto, do Moinho Cultural e também da Casa Vasquez, para a realização de atividades de teatro e dança. Portanto é uma nova roupagem do festival”, explica Américo Calheiros.

Nilde Brun, diretora-presidente da Fundtur e presidente do Fórum Nacional de Dirigentes e Secretários Estaduais de Turismo (Fornatur), afirmou que, além de movimentar a cena cultural do município sede e do Estado, o objetivo do festival é impulsionar a economia local. “Contamos com o apoio da população para aproveitar este evento maravilhoso e ajudar a divulgar nossas potencialidades para toda a América do Sul, convidando parentes e amigos de outros Estados países e virem para o Festival”, ressalta.

O 6º Festival América do Sul está sendo patrocinado pelo Governo Federal, por meio dos ministérios do Turismo e da Cultura, Banco do Brasil, Petrobras, SEBRAE, Natura e Fundação Nacional de Artes. (Segov)