Festival América do Sul é evento estrutural, diz ministro

 Prefeitura de Corumbá
  

 Barretto garantiu que Ministério será um dos apoiadores do Festival

Ao participar, nesta manhã, do lançamento da 6ª edição do Festival América do Sul, o ministro do Turismo, Luiz Eduardo Pereira Barretto Filho, reforçou a importância do evento e do Pantanal para o turismo do País. O ministro avaliou que o Festival, surgido em 2004, “é mais que um evento de ocasião, é estrutural”.

“Vocês tem 60% do Pantanal”, reforçou o ministro, ao comentar a importância do Pantanal de Mato Grosso do Sul para o turismo nacional. O ministro afirmou ter a crença de que o setor vai crescer na região e que será um importante viés do desenvolvimento econômico do Estado. Barretto afirmou também que o Ministério estará presente no Festival, como um dos apoiadores. 

Em sua fala, o prefeito Ruiter Cunha de Oliveira afirmou que a realização de mais um festival é uma ousadia, diante da atual situação de crise na economia mundial. O prefeito avaliou que a aposta na realização do evento é, também, um instrumento de combate aos efeitos da crise, na medida em que movimenta a economia da região.

O Festival América do Sul será realizado no período entre 29 de abril e 3 de maio. Neste ano, uma das novidades será a gratuidade dos shows que serão realizados nos palcos montados na Praça Generoso Ponce.

Atrações

O evento terá shows de artistas brasileiros e de outros países da América do Sul. Estão entre as atrações anunciadas Elza Soares (29 de abril), Zeca Baleiro (30 de abril), Mercedes Sosa (1º de maio), Paralamas do Sucesso (2 de maio), Luiz Melodia (3 de maio), La Secreta (Paraguai), Pedro La Colina (Chile), Wayramanta (Peru) e Orquestra Típica de Tango “De Puro Guapos” (Argentina). As atrações locais são: Mandioca Loca, Facas Voadoras, Banda Grass, Tostão e Guarany, Erick e Roger Batista e Benites.

Haverá, ainda, apresentações de dança, teatro e circo, com os grupos Caporales (Bolívia), Grupo Tá na Rua, Cia Ânima de Teatro e Performance (RJ), Duo Ângelo Madureira e Catarina (SP), Solo Paula Águas (RJ), Grupo Teatral Flor e Espinho, Associação Cultural Fulano Di Tal, Cia das Artes, Cia Dançurbana e CTG Chama Crioula.