Exposição de fotos representa regionalidades dos países vizinhos

Estão disponíveis para visitação desde quarta-feira (29) no Instituto Luís de Albuquerque (ILA) os registros de sete fotógrafos da América Latina. “Sete Olhares sobre o Mercosul” é o nome da exposição que retrata as particularidades da população e dos países vizinhos ao Brasil, que se integram durante o 6º Festival América do Sul.

Representando o Brasil, Guy Veloso traz a série “Círio de Nazaré”, que captura momentos da festa que dá título às fotografias, realizada em Belém do Pará. A forte religiosidade do brasileiro transparece nos registros de papéis picados e da aglomeração de pessoas, unidas pela fé nas figuras católicas.

Da Argentina, são duas séries. Em uma delas, Ricardo Torossian apresenta as paisagens desérticas do seu país na série “Tierra Vieja”. Já o trabalho de Eduardo Longoni, intitulado “Aires de Buenos Tangos”, faz uma brincadeira com o nome da capital “hermana” e envolve os visitantes em um clima de filmes noir, com movimentos próximos, fumaça e sensualidade.

Apesar da distância geográfica entre os países, as fotografias de dois artistas – um do Uruguai e outro venezuelano – se tornam próximas pelo assunto escolhido. Na sexta edição do Festival América do Sul, o diálogo entre as culturas sul-americanas se alinha para conversar sobre si próprio, o próximo e todos nós.

Em “Homens de Carbon”, o fotógrafo Luis Lares, da Venezuela, optou pelo preto e branco para retratar os trabalhadores nas minas de carvão. Ainda que a técnica utilize basicamente duas cores, são os meios tons, os cinzas, as nuances das fotografias que capturam a atenção. Na maioria das obras, os personagens estão sérios, trazendo a idéia de que o carvão, uma formação fóssil de milhares de anos, acaba por endurecer as pessoas.

E na série “Ofícios”, do uruguaio Carlos Contera, os momentos em que os trabalhadores desempenham suas atividades ganham contornos poéticos, desde o menino lavador de carros, passando pelo operário que se arrisca no topo do prédio até o senhor cansado que cozinha para alimentar outros trabalhadores como ele.

“Sete Olhares sobre o Mercosul” tem ainda o cotidiano do Paraguai  nas fotografias amplas de Juan Carlos Mesa e as paisagens inóspitas da Patagônia estão ao alcance dos olhos em “Farelos del fin del Mundo”, do chileno Rodrigo Gómez Rovira. A exposição está aberta das 8 às 20 horas, no ILA, que fica na Praça da República, 119, no Centro.