De Puro Guapos une brasileiros e argentinos ao som do tango

“De puro guapos” é a uma expressão argentina que significa uma pessoa corajosa, de fibra, que enfrenta adversidades. Baseado nessa idéia surgiu em São Paulo, em 1999, a orquestra típica de tango De Puro Guapos. O octeto é formado por seis músicos brasileiros e dois argentinos. Apresenta um repertório instrumental de tangos e milongas de tradicionais (de 1910 a 1960), e a música de Astor Piazzolla.

A orquestra é uma das atrações do 6º Festival América do Sul, neste sábado, 2, a partir de 21h50, no Palco Brasil. O grupo é integrado pelos argentinos Martín Mirol (bandoneón, direção e arranjos) e Maria Emilia Paredes (violino), e pelos brasileiros Rafael Zacchi (clarinete), Gustavo Nascimento (violino), Marcos Braga (viola), Paulo Henrique (violoncelo), Vinicius Pereira (contrabaixo) e Paulo Brucoli (piano).

Para chegar ao repertório atual, o grupo fez uma pesquisa intensa, que incluiu várias visitas à Argentina para assistir concertos, fazer entrevistas e obter material como partituras, discos e livros. No repertório encontram-se Derecho Viejo e El Marne de Eduardo Arolas, Don Agustín Bardi de Horacio Salgán, Sur e Responso de Aníbal Troilo, as milongas Nocturna (de Julián Plaza) e Milonga de Mis Amores, de Pedro Laurenz, além de peças de Astor Piazolla como Adiós Nonino, Libertango e Buenos Aires Hora Cero.

Além das apresentações nos principais teatros e casas noturnas da capital de São Paulo e interior paulista, De Puro Guapos esteve na Argentina representando o Brasil no festival internacional de tango de Justo Daract, realizado em 2005. Lançou em 2006 seu primeiro disco, gravado ao vivo no Espaço Cachuera!, em São Paulo. A Orquestra fechou o ano de 2008 com o lançamento do seu segundo CD “Com a Corda Toda”. (Assessoria FAS)