Exposição artística do CAPS-AD marca primeiro ano do programa

 Prefeitura de Corumbá

  

 Peças foram produzidas durante as aulas de artes

Termina hoje, 03 de março, a exposição de trabalhos artesanais dos pacientes do Centro de Atenção Psicossocial – Álcool e Drogas (CAPS-AD). A mostra acontece na Casa de Cultura Luiz de Albuquerque (ILA) e comemora o primeiro ano de atividade do programa desenvolvido pela Prefeitura e criado pela administração do prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT). A exposição fica aberta ao público até às 15 horas desta terça-feira.

A mostra conta com trabalhos confeccionados, por vinte pacientes da unidade, nas oficinas da Sala de Artes (que faz parte do cotidiano do tratamento). São peças de artesanato; colagens e quadros, produzidas com material de baixo custo e sucata.

“Com a oficina de artes trabalhamos a coordenação motora; concentração. A ação reflete na melhoria da auto-estima e pode se configurar numa alternativa para geração de renda”, afirmou a terapeuta ocupacional do CAPS-AD, Liliane Pinho de Almeida.

Ela avaliou também que as aulas de arte, seguidas pela exposição, contribui para o sucesso do tratamento. “Eles têm a chance de ver o trabalho finalizado, isso contribui e estimula a todos”, disse.

Completando sete meses de tratamento, um dos pacientes, de 25 anos, contou que as aulas de arte têm ajudado na sua recuperação. “Passei a pensar na vida dando mais valor a ela. Descobri que sou capaz de fazer coisas que acreditava não ter capacidade. Hoje estou bem melhor”, disse.

Atenção psicossocial

O CAPS-AD é um centro mantido pela Prefeitura de Corumbá, através da Secretaria Executiva de Saúde Pública. Presta serviço ambulatorial e de atenção psicossocial e a procura pelo tratamento pode ser por livre e espontânea vontade, acompanhada por familiares ou determinação judicial.

A unidade fica na rua Cabral, 1208, entre a 7 de Setembro e 15 de Novembro, e funciona das 7h às 17h, de segunda a sexta-feira. Oferece tratamento medicamentoso para co-morbidades e outras seqüelas, em conseqüência ao uso abusivo de substâncias psicoativas e álcool.

Também são desenvolvidas atividades em oficinas terapêuticas, visando elevar a auto-estima e confiança do dependente químico. São promovidas oficinas Terapêuticas, atendimento psicoterápico individual, atendimento clínico, atendimento medicamentoso, plantio de ervas medicinais e verduras; além de atendimento aos familiares – individual e grupo e atividades esportivas (ginástica, musculação, futebol de campo, vôlei, tênis de mesa e natação).