Em Campo Grande, Beatriz Cavassa assina Pacto pelas mulheres

 Prefeitura de Corumbá

  
Ministra Nilcéia Freire e Beatriz durante solenidade em CG

A secretária de Políticas Sociais de Corumbá, Beatriz Cavassa de Oliveira, assinou nesta quinta-feira, dia 5, documento que inclui Corumbá no Pacto Nacional para o Enfrentamento da Violência contra as Mulheres. O ato realizado em Campo Grande durante o I Encontro de Prefeitas, Vice-prefeitas e Vereadoras, representa a integração ainda maior do Município com o Governo do Estado e União junto às ações que serão desenvolvidas em todo o País para garantir os direitos, saúde, segurança e bem-estar das mulheres.

“A Prefeitura já promove diversas ações voltadas a essas questões. Recebemos inclusive a própria Maria da Penha em nosso município e a partir de agora teremos uma força ainda maior”, ressaltou Beatriz, referindo-se aos avanços previstos, como a construção de um Centro de Atendimento à Mulher em Situação de Violência, pelo Governo Federal, com apoio do Governo do Estado e a Prefeitura, que doou o terreno.

Representando o prefeito Ruiter Cunha de Oliveira, a primeira-dama destacou ainda, ao lado da gerente de Articulação de Políticas Públicas para Mulher, Cristiane Santana, que o novo Centro deverá ser o quarto do MS, já que hoje eles existem apenas em Campo Grande, Dourados e Nova Andradina.

Conforme Cristiane, o projeto para a construção do Centro já havia sido enviado a Brasília pela Prefeitura de Corumbá há mais de um ano e isso foi determinante na decisão do Governo Federal em encampar a idéia. Para a ministra Especial de Políticas para a Mulher, Nilcéia Freire, que representou o Governo Federal, a adesão dos municípios sul-mato-grossenses foi exemplar. “Este encontro representa o avanço das políticas que temos implementado e a união das esferas para uma questão de grande importância”, disse. 

Pelo menos 12 municípios do Estado marcaram presença no evento, realizado no Centro de Convenções Rubens Gil de Camillo, junto com o governador André Puccinelli, representantes do legislativo e outras autoridades. Consolidado, o pacto representa o compromisso dos governantes de pôr em prática as políticas públicas de defesa dos direitos das mulheres e combate a violência de todos os tipos.