Disque Dengue ajuda Corumbá eliminar focos da doença

 Prefeitura de Corumbá

  
Atendimento acontece durante horário comercial

O Disque Dengue está sendo um aliado importante da Prefeitura de Corumbá para eliminação de focos de proliferação do mosquito Aedes Aegypti na cidade. Números da Secretaria Executiva de Saúde Pública apontam que 90% das pessoas denunciadas através do 0800 647 2255, cumprem as orientações, após notificadas, realizando limpeza de seus terrenos ou mesmo quintais que apresentam focos do transmissor da doença.

O Disque Dengue está sendo um aliado importante da Prefeitura de Corumbá para eliminação de focos de proliferação do mosquito Aedes Aegypti na cidade. Números da Secretaria Executiva de Saúde Pública apontam que 90% das pessoas denunciadas através do 0800 647 2255, cumprem as orientações, após notificadas, realizando limpeza de seus terrenos ou mesmo quintais que apresentam focos do transmissor da doença.

Implantado a partir de uma orientação do prefeito Ruiter Cunha de Oliveira, o Disque Dengue têm recebido uma média de 25 denuncias diárias, a grande maioria relacionada a terrenos baldios, quintais sujos e caixas de água destampadas. Segundo a gerente de Vigilância em Saúde, Viviane Ametlla, a Prefeitura conta com uma funcionária exclusiva para atender o telefone (ligação é gratuita), além de dois agentes e um motorista, destacados para fazer o trabalho de campo.

Segundo Cleide Teixeira, responsável pelo atendimento, o trabalho da equipe de campo está sendo executado em um prazo de uma semana, após recebimento da denúncia. "No início era imediato. As ligações eram poucas. Hoje, temos uma média de 25, por isso a demora", explicou. O atendimento ao público acontece no período das 08h às 12h e das 14h às 18h, de segunda a sexta-feira.

Conforme ela, após recebimento das denúncias, é feita uma triagem e a equipe vai a campo, para localizar e identificar o problema. Em caso de terrenos baldios e quintais sujos, com focos do mosquito, os proprietários são identificados e o processo encaminhado para a Vigilância Sanitária, responsável pela notificação. "É dado um prazo de cinco dias para o proprietário resolver o problema. Se não cumprir, é multado", explicou.

Viviane Ametlla informou que as multas não estão sendo necessárias. "A grande maioria está cumprindo e fazendo a limpeza dentro do prazo. O maior problema é localizar proprietários que não residem na cidade. Quando isto acontece, temos que buscar alternativas", afirmou. Para localizar o imóveis e identificar o proprietário, a Saúde Pública está tendo apoio da Gerência de Geo Processamento da Prefeitura, que disponibiliza o BIC – Boletim de Inscrição Cadastral, totalmente informatizado.

No caso das denúncias de caixas de água destampadas, os próprios agentes, durante a visita, fazem o tratamento, com aplicação de larvicida, e orientam os moradores para manter o local com tampa. Para resolver este problema, a Prefeitura já adquiriu telas que serão distribuídas a famílias de baixa renda, para colocar nas caixas, evitando entrada de mosquito. O material chega nos próximos dias.

Panfletagem

Hoje, a Prefeitura está atuando intensivamente no trabalho de combate à dengue. A ação é desenvolvida pelas equipes da Secretaria Executiva de Saúde Pública, apoiada por todas as demais pastas da administração municipal. São ações educativas, eliminação de focos do mosquito, além de outras estratégias para conter avanço da doença.

Na tarde desta quarta-feira, por exemplo, uma equipe fará panfletagem no Estádio Arthur Marinho, durante o jogo do Corumbaense contra o Águia Negra. O grupo entra em campo com a equipe do Corumbaense, com uma faixa, convocando a população a engajar na luta contra a doença.