Dengue: LIRAa aponta índice de proliferação de 5,4% em Corumbá

A Secretaria Executiva de Saúde Pública da Prefeitura Municipal informou na manhã desta segunda-feira, o resultado do Levantamento de Índice Rápido de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa), realizado na semana passada. Em toda a cidade, a incidência ficou em 5,4%, bem abaixo do registrado na cidade de Puerto Quijarro (Bolívia), divisa com Corumbá, que atingiu média de 33%.

Segundo Viviane Ametlla, gerente de Vigilância em Saúde da Prefeitura, os índices fazem com que a secretaria intensifique ainda mais as ações de combate e eliminação dos focos da dengue. Ela lembra que áreas intensamente trabalhadas, como a Popular Velha, ainda estão com índices acima do aceitável pela Organização Mundial de Saúde, que é de até 1%.

“O LIRAa foi realizado antes desta última ação, iniciada na sexta-feira. A nossa expectativa é que, após esta ação, tenhamos uma queda”, afirmou, sem descartar surgimento de novos casos da doença. Números do último final de semana apontavam 111 casos confirmados e 720 notificações.

O levantamento foi realizado em quatro regiões da cidade. O centro, região 1, apontou índice de 5,3%. Foram inspecionados 378 imóveis. Em 23 foram detectadas larvas do Aedes aegypti.

Na região 2, compreendida pelos bairros Dom Bosco, Aeroporto, Popular Nova, Generoso, Cervejaria, Nossa Senhora de Fátima, Beira Rio e região, o LIRAa apontou índice de 7,0%. 398 imóveis foram visitados com 32 focos.

Na região 3, integrada pela Popular Velha, Guarani, Guanã, Nova Corumbá, Guatós e região, a incidência foi de 5,8%. Foram inspecionados 281 imóveis, dos quais 19 apresentaram focos.

Já a região 4, Universitário, Maria Leite, Cristo Redentor, Cravo Vermelho, Centro América, Previsul e região, o índice foi de 3,9%. Foram inspecionados 387 imóveis e em 16, encontrados focos do mosquito.

O levantamento comprovou que a maior incidência de proliferação do Aedes aegypti está nas caixas e depósitos de água ao nível de solo, com 38,4% do total de focos detectados. Depósitos móveis, como vasos de plantas, bebedouros (cachorro), entre outros, atingiram incidência de 26,7%.

Já lixo (resíduos sólidos), como garrafas de vidro, pet, copos descartáveis e outros, o levantamento apontou uma incidência de 16,3%. Já depósitos fixos, como calhas, lajes, vasos sanitários abandonados e outros, são responsáveis por uma incidência de 11,6%, à frente de pneus, com 4,7%, e depósitos naturais (plantas que acumulam água, por exemplo, com 2,3%.

Disque dengue

Além dos trabalhos desenvolvidos na cidade, a Prefeitura implantou o disque dengue – 0800 647 2255, que está em funcionamento durante o horário comercial. A ligação é gratuita. Através do sistema, a população poderá informar sobre casos de dengue na cidade, inclusive com denúncias sobre focos do mosquito Aedes aegypti.