Corumbá pode ser enredo da União da Ilha do Governador, no Rio

A União da Ilha do Governador, escola de samba campeã do grupo de acesso no Rio de Janeiro, pode estabelecer uma parceria com a cidade de Corumbá no carnaval de 2010. A agremiação, presidida por Ney Fillardis, volta a fazer parte do grupo de elite do carnaval carioca e já está estudando propostas de três enredos, entre eles, focando a cidade pantaneira.

Foi o que informou nesta terça-feira, 10 de março, o presidente da Liga Independente das Escolas de Samba de Corumbá (Liesco), Zezinho Martinez, durante entrevista ao programa do radialista Jonas de Lima, na Rádio Difusora Matogrossense. Ele estava acompanhado do prefeito Ruiter Cunha e anunciou a vinda do presidente da escola carioca a Corumbá, para “início dos entendimentos com o prefeito Ruiter”. A União da Ilha do Governador volta ao grupo de elite em 2010.

O prefeito sentiu-se lisonjeado com a possibilidade de Corumbá ser tema do enredo da agremiação carioca e disse que está aberto ao entendimento com o presidente da entidade carnavalesca. Lembrou as dificuldades financeiras do momento, mas que, a princípio, a idéia é buscar parceiros, caso o assunto seja concretizado.

Crescimento

Com relação ao carnaval de 2009 em Corumbá, Zezinho destacou o crescimento em relação ao ano anterior. “Estávamos prevendo que seria em torno de 30%. Superamos, chegamos a 40% e, para 2010, será bem melhor ainda”, disse. Conforme ele, foi a primeira grande obra do prefeito Ruiter neste início da sua segunda administração, “como aconteceu em 2005, quando ele acabava de assumir a Prefeitura de Corumbá”, comemorou.

Martinez afirma que a Prefeitura é a grande parceira da Liesco e não poupa esforços no sentido de fazer o melhor pelo carnaval corumbaense. “Foi um sucesso. Rede hoteleira estava lotada. Os turistas ficaram satisfeitos e a repercussão foi muito grande lá fora. O nosso carnaval foi fantástico”, reforçou.

Para o presidente, o crescimento não foi apenas nos desfiles das escolas de samba. Destacou os blocos, cordões e o carnaval cultural, “todos evoluindo e que já fazem parte dessa formula”. Não esqueceu também os  bailes populares que, dessa vez, contou com presenças marcantes de grupos musicais da terra. “O corumbaense sabe fazer e mostrou isso durante os shows populares na praça”, destacou.