Situação na Bolívia faz Corumbá intensificar ações contra dengue

O setor de saúde pública de Corumbá intensificou ainda mais as ações de combate à dengue na região. Campanhas iniciadas em dezembro, foram reforçadas no final de janeiro e início de fevereiro, como forma de bloquear a doença. A principal preocupação é com relação à Bolívia, onde há uma epidemia com 30.870 notificações até a última quinta-feira, e 88 casos confirmados de dengue hemorrágica.

O secretário executivo de Saúde Pública da Prefeitura de Corumbá, Cleber Colleone, explicou que os trabalhos não param. Segundo ele, a orientação do prefeito Ruiter Cunha é justamente massificar os trabalhos, combatendo principalmente os focos de proliferação do mosquito.

“Estamos trabalhando intensamente desde dezembro. Agora, intensificamos devido ao período de chuvas intensas e também em virtude do que está ocorrendo na Bolívia”, disse Colleone.

Ele informou que, até o momento, Corumbá notificou 416 casos suspeitos de dengue. Desse total, 57 são positivos. Conforme o secretário, os números não representam a realidade corumbaense. É que, diante da situação do outro lado da fronteira, pacientes de lá procuram o Pronto Socorro de Corumbá e, como apresentam um endereço residencial da cidade, acabam sendo notificados como casos de Corumbá.

Ele lembra uma cidadã corumbaense que chegou de Santa Cruz com dengue. O caso foi notificado e confirmado como se ela tivesse contraído a doença em Corumbá.

“A situação na Bolívia é preocupante. Tanto é que o nosso prefeito determinou total apoio às autoridades do outro lado da fronteira, para combater esta doença. Lá existe uma epidemia. Aqui, estamos tendo um surto e estamos trabalhando para bloquear a doença”, explicou.

Notificações

O secretário explicou ainda que o crescimento do n úmero de notificações deve-se justamente ao fato de que a Prefeitura se preocupou em capacitar a rede de saúde, médicos e enfermeiros, visando notificação precoce da doença, o que permite um tratamento mais urgente e eficaz.

“Hoje, toda a rede está capacitada e a notificação é imediata. Isto facilita o atendimento. Além do mais, qualquer paciente que apresentar pelo menos dois sintomas parecidos aos da dengue, já são notificados como se estivessem com a doença”, disse Colleone, alertando que na Bolívia, não há controle.

O secretário adiantou que, durante o carnaval, os trabalhos não foram paralisados. “Pelo contrário, foram intensificados”, disse Colleone. Segundo ele, o Pronto Socorro permaneceu com uma equipe de plantão para atender casos de dengue ou mesmo suspeitos, e o mesmo ocorreu no Centro de Saúde da Popular Velha, bairro que, devido à alta incidência de notificações, preocupa.

Controle

Colleone adiantou que Corumbá tem controle da situação. “Estamos intensificando as ações, principalmente onde estão aparecendo casos de notificações. Ainda teremos um crescimento nos próximos dias, mas, acreditamos que os casos diminuirão agora em março”, comentou.

Conforme o secretário, o controle da situação se deve principalmente às ações realizadas na cidade durante todo o ano, intensificadas a partir de dezembro de 2008, e também  em Ladário, a partir de janeiro de 2009.

“Foram ações de eliminação de focos do mosquito, com retirada de todo material apropriado para procriação, bem como limpeza geral. Estamos também com campanhas educativas e com três máquinas fazendo a borrifação em toda a cidade e em Ladário. Tudo isto fez com que os focos diminuíssem”, disse.

Colleone alega que, hoje, de cada dez focos do mosquito, nove estão em reservatórios localizados ao nível do solo. “Não são mais quintais ou terrenos sujos. Isto já foi atacado, limpo. Agora, são os reservatórios que nos preocupam e que estão sendo tratados”, explicou.

Operação limpeza na fronteira

Nas cidades bolivianas de Puerto Suárez e Puerto Quijarro, todas as atividades públicas foram suspensas hoje, sexta-feira. A decisão foi tomada em virtude da epidemia de dengue no país. São 30.870 casos notificados, com 88 casos de dengue do tipo hemorrágico confirmados.

Diante da situação, as Prefeituras de Quijarro e Puerto Suarez paralisaram as atividades burocráticas nesta sexta-feira, para implementação de ações maciça de limpeza, para eliminação de focos do mosquito Aedes aegypti.

Os trabalhos estão sendo realizados por funcionários públicos, militares e policiais. A mobilização teve início nas escolas e colégios e vai atingir nas casas. A idéia é eliminar criadouros do mosquito que transmite a dengue.