Saúde inicia ação no centro de prevenção à dengue

 Prefeitura de Corumbá

  

 Na prevenção à dengue, equipes deverão cobrir os cerca de 9 mil imóveis localizados na área 

Agentes de saúde e de endemias iniciaram hoje, a campanha de prevenção à dengue na região central de Corumbá. São 43 pessoas, divididas em 20 equipes que, nos próximos dias, deverão cobrir os cerca de 9 mil imóveis localizados na área. O trabalho será idêntico ao realizado nos bairros Aeroporto, Dom Bosco, Arthur Marinho e Cervejaria.

Antes de iniciarem o trabalho de campo, os agentes se reuniram com o secretário de Ações Sociais, Lamartine Figueiredo Costa, e com o secretário executivo de Saúde Pública, Cleber Colleone, no centro de saúde central, localizado na rua Dom Aquino.

No encontro, Colleone destacou a atuação dos agentes que, nestes últimos dias, estão desenvolvendo um trabalho importante, “de conscientização da população”, sobre a necessidade de manter seus quintais limpos. Solicitou a todos que continuem “dessa forma, se desdobrando, para vencer um sério problema que é a dengue”.

O secretário informou que, hoje, as atenções estão voltadas para Corumbá, devido à situação vivida em território boliviano. “São 20 mil casos de dengue no País, cerca de 15 mil somente em Santa Cruz. Por tudo isso temos que fazer a nossa parte, para evitar que a epidemia chegue em nossa região”, focou.

Fez um balanço dos últimos anos. Lembrou problemas ocorridos em Campo Grande, Três Lagoas, Dourados e Aquidauana, no ano passado. “Aqui, devido ao trabalho que acontece durante todo o ano, não tivemos problemas tão sérios como nestas cidades. Temos que continuar assim, para que os problemas da Bolívia não cheguem aqui”, comentou. Santa Cruz fica mais de 600 quilômetros de Corumbá.

Ação integrada

O secretário Lamartine, por sua vez, lembrou que, por determinação do prefeito Ruiter Cunha, Corumbá já está atento à situação boliviana, inclusive prestando apoio às autoridades de Puerto Quijarro e Puerto Suarez, para prevenção à doença. Segundo ele, este trabalho integrado é importante para evitar que a doença chegue à região.

“O momento, em virtude da situação na Bolívia, é delicado. Estamos também em um período de chuva, apropriado para aumento de focos do mosquito (Aedes aegypti – transmissor da doença). É um desafio que, com certeza, vamos vencer”, afirmou.

Viviane Ametlla, gerente de vigilância em saúde, informou que a campanha será feita de casa em casa. A idéia é conscientizar os moradores sobre a importância de manter os quintais limpos. Conforme ela, as equipes ficarão no centro da cidade até cobrir os 9 mil imóveis localizados em 150 quarteirões.