Corumbá discute ações de Regulamento Sanitário Internacional

 Prefeitura de Corumbá

  

 Corumbá está entre as 79 cidades brasileiras que discutem nova regulamentação internacional

Corumbá sediou na manhã desta quinta-feira, 29 de janeiro, uma reunião para discutir o novo Regulamento Sanitário Internacional – criado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) – com objetivo de garantir a máxima segurança no combate à disseminação de doenças. Participaram técnicos da Secretaria Executiva de Saúde Pública; da Defesa Civil; Vigilâncias Epidemiológica e Sanitária e Centro de Controle de Zoonoses (CCZ).

O encontro, realizado na sala pedagógica do Espaço Educacional, foi coordenado pela representante do Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal da Bahia, Maria Yury Travassos, que é a responsável pela avaliação das capacidades básicas de vigilância e resposta, no enfrentamento de casos doença e emergência em saúde pública, do Ministério da Saúde.

Corumbá está entre as 79 cidades brasileiras escolhidas pelo Ministério da Saúde para discutir as alterações no Regulamento, que visam a integração das propostas ao Mercosul. A escolha de Corumbá pelo Ministério foi feita pelo fato de o município ser o principal porto fluvial da região Centro-Oeste; estar localizada em zona de fronteira internacional e já desenvolver ações preventivas na área de segurança pública, inclusive de forma binacional.

O Regulamento Sanitário Internacional foi criado em 1951 pela Organização Mundial da Saúde e, em 1969, sofreu uma revisão, além de algumas alterações em 1973 e 1981. Uma nova regulamentação foi elaborada em 2005 e passou a vigorar em 15 de junho de 2007. Ela prevê prazos para cumprimento de algumas atividades por parte dos países integrantes da Organização Mundial de Saúde. Uma delas é a Avaliação de Capacidade Básica Necessária para Tarefas de Vigilância e Resposta que, de acordo com o Mercosul, deverá ser cumprida até março de 2009.

Procedimentos

“Avaliamos os procedimentos que serão seguidos, pelo novo Regulamento, para desenvolver ações em saúde pública os trabalhos de vigilância em saúde e a capacidade de resposta para o emprego de ações em casos de emergência”, explicou a palestrante Maria Yury Travassos ao informar que a iniciativa busca qualificar o serviço no país. Ela destacou que serão coletadas informações sobre o segmento corumbaense. Os dados locais deverão integrar o quadro do diagnóstico nacional, que prevê a implementação de ações até 2012.

Cleber Colleone, que responde interinamente pela Secretaria de Saúde corumbaense, explicou que o Município está pronto para colaborar com a pesquisa promovida pelo Ministério. Ele destacou que Corumbá desenvolve um trabalho qualificado no que tange à prevenção e ações de resposta visando bloqueio de doenças.

“Temos excelente atuação das vigilâncias epidemiológica; sanitária e ambiental. Um exemplo foi o trabalho que desenvolvemos quando houve caso de raiva animal na Bolívia. Fizemos o bloqueio e estamos há oito meses sem caso de raiva canina em Corumbá”, afirmou Colleone ao participar da reunião.