Blitz na cidade quer garantir maior segurança no trânsito

 Prefeitura de Corumbá

  

 Agentes de trânsito verificaram cumprimento da legislação

Equipes da Agência Municipal de Trânsito e Transportes (Agetrat) e do 6º Batalhão da Polícia Militar realizaram blitz repressiva e educativa no cruzamento das ruas 21 de Setembro e Porto Carrero, na manhã desta quinta-feira, 22 de janeiro. As ações deram sequência às atividades da terceira edição do Plano de Redução de Acidentes (PARA), promovida desde o início de dezembro, do ano passado, pela Prefeitura de Corumbá em parceria com a PM e mineradora Vale.

Na ação desta manhã foram verificadas situações relacionadas a documentação de veículos e condutores; condições de conservação de carros; motos e caminhões; uso de capacetes e viseiras – no caso de motociclistas – e do cinto de segurança. A vistoria avaliou o cumprimento da legislação nacional de trânsito. O descumprimento estava sujeito à notificação; multas e apreensão do veículo.

A blitz foi realizada por uma equipe formada por 10 profissionais da Agetrat – entre agentes e técnicos de educação para o trânsito – e três policiais militares. Na parte educativa da ação foram com distribuídos panfletos e adesivos com dicas básicas sobre as leis de trânsito. Além das ações rotineiras, a Prefeitura vai intensificar a fiscalização do trânsito em fevereiro, em função do retorno das aulas e do período de carnaval.

Acidentes

Dados divulgados pela Agetrat e PM no lançamento do PARA no final de 2008, com base em informações do Detran, indicaram as ruas Dom Aquino Correa e Porto Carrero com os maiores índices de acidentes de trânsito no período de janeiro a setembro daquele ano, em Corumbá. Cada uma delas registrou 21 acidentes naqueles nove meses. Seguidas pelas ruas Cyríaco de Toledo (14 acidentes); América (12) e Edu Rocha (10), sem vítimas fatais.

Levantamento realizado pela Agetrat entre janeiro e outubro de 2008 mostrou que foram aplicados 1.044 autos de infração na cidade. Pelas estatísticas de trânsito as principais infrações, no período avaliado, foram dirigir veículos usando fones de ouvidos conectados a aparelhos sonoros ou a telefones celulares, trafegar com veículos sem licenciamento ou registro, dirigir sem Carteira Nacional de Habilitação (CNH), estacionar em locais proibidos e em locais em desacordo com a legislação (parar em vaga destinada aos portadores de necessidades especiais).

O PARA visa estimular a criação de uma consciência voltada para os problemas inerentes ao trânsito nas vias urbanas, bem como dinamizar e divulgar o trabalho feito pelos órgãos de trânsito na área de prevenção de acidentes automobilísticos, na busca da redução dos índices de acidentes automobilísticos, integrando a sociedade organizada com os órgãos da administração pública responsáveis pelo trânsito. Objetiva ainda estimular os usuários das vias, como pedestre e condutores de veículos, a seguirem as regras do Código de Trânsito Brasileiro.