Rio Tinto reafirma manutenção de projeto de expansão na cidade

 Prefeitura de Corumbá

  
Direção do grupo anunciou manutenção do projeto de expansão e medidas para enfrentar crise mundial

A direção do grupo Rio Tinto anunciou na manhã de hoje, 4, o início do projeto de expansão da Mina Corumbá, implantação da correia transportadora e construção do porto em Albuquerque. Foi durante um encontro do gerente geral da mineradora na cidade, Edson Miranda e do gerente de recursos humanos, Sérgio Visconti, com os secretários Daniel Martins Costa (Administração e Finanças e de Ações Sociais) e Haroldo Ribeiro Cavassa (Gestão Governamental). O prefeito eleito de Ladário, José Antônio Assad e Faria, também participou da reunião.

A audiência foi solicitada pela direção do grupo em Corumbá, justamente para confirmar a manutenção do cronograma de expansão da Mina, apesar da grave crise financeira que afeta a economia mundial. “A situação atual é grave mas o Grupo Rio Tinto está apostando na reação do mercado”, afirmou Sérgio Visconti.

O projeto prevê investimentos de cerca de US$ 700 milhões na expansão da mina de minério de ferro em Corumbá, aumentando a capacidade anual da mina mais de seis vezes, passando dos atuais dois milhões de toneladas para 12,8 milhões de toneladas, a partir do quarto trimestre de 2010. Vai também permitir implantação da correia transportadora do minério da mina até o porto de Albuquerque, construção incluída no projeto.

Os investimentos fazem parte de um pacote de US$ 2.15 bilhões aprovados em Londres, pela direção do grupo, que prevê investimentos no setor de logística, inclusive um porto no Uruguai.

O gerente adiantou inclusive a contratação 50 operários esta semana, que trabalharão na instalação do acampamento que a empresa montará nas próximas semanas, para abrigar cerca de 1.600 pessoas, que trabalharão nas obras de expansão da Mina Corumbá, implantação da correia transportadora e do porto que a empresa construirá em Albuquerque.

“Os planos de expansão da mina de Corumbá e da logística fluvial serão mantidos, mas revistos continuamente de acordo com a demanda do mercado, o preço do minério de ferro e mudanças no custo do projeto”, afirma Visconti.

Ele informa inclusive que a empresa contratou um gerente de construção, que já está morando na cidade, e será responsável pelo projeto. Confirmou também a presença na cidade do gerente da empresa canadense Sandwell, responsável pelas obras programadas na cidade.

Conforme ele, a demanda global por minério de ferro foi reduzida como resultado do desaquecimento na indústria siderúrgica e da crise financeira mundial. “Estamos apostando na reação do mercado e na retomada do crescimento da demanda por minério de ferro”, continuou.

Medidas

No encontro com os secretários e com o prefeito eleito de Ladário, Visconti informou que a Rio Tinto está tomando todas as medidas cabíveis para responder à redução da demanda pelos produtos da mina de Corumbá.

Uma delas será a adoção de férias coletivas no período de 22 de dezembro a 20 de janeiro de 2009, para cerca de 90% dos 530 funcionários, decisão já discutida com a Delegacia Regional do Trabalho (DRT) e o Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Extrativas de Corumbá e Ladário.

Ele descartou demissão e confirmou a realização de análise minuciosa dos custos operacionais, a fim de manter a produtividade. Disse também que, neste período, serão mantidos funcionários em áreas estratégicas. “A produção pára, mas temos manutenção de equipamentos e pessoal de escritório, responsável pelo setor de recursos humanos e financeiro, que continuarão em atividades”, ressaltou.

O gerente confirmou ainda que, o período será aproveitado para treinamento e capacitação de servidores e que, os cursos de formação profissional desenvolvidos em parceria com a Prefeitura e o Senai, estão mantidos.

Confiança

Para o secretário Daniel Martins Costa, a decisão do grupo em manter o cronograma de investimentos na cidade, mostra confiança na reação do mercado financeiro e que isto “será de extrema importância para Corumbá, abrindo vagas para novos empregos, gerando renda na nossa região”, comemorou.

José Antônio Assad e Faria também enalteceu a decisão do grupo. No entender dele, apesar da grave crise mundial, a Rio Tinto está disposta a manter seus projetos que “reflete diretamente na economia corumbaense e ladarense”.

Haroldo Cavassa, por sua vez, lembrou que uma das grandes preocupações do prefeito Ruiter Cunha de Oliveira, são ações em defesa de investimentos que garantam agregação de valor ao minério extraído no município e tenham como pilar a adoção de políticas de sustentabilidade ambiental, gerando emprego e renda no município. “A Rio Tinto adotou o sistema de férias coletivas, descartou demissões e manteve os investimentos na cidade. Isto é fundamental para a região”, comentou.