Projeto de combate à dengue prossegue com ações no Beira Rio

A próxima ação do projeto de combate à dengue desenvolvido pela Prefeitura de Corumbá, através de profissionais da Secretaria Executiva de Saúde Pública, será nesta sexta-feira, 19 de dezembro, na região do bairro Beira Rio. As equipes de agentes comunitários se concentrarão na rua Manoel Cavassa, 148, no período das 07h30 às 10 horas. Trabalhando o tema “Verão sem dengue”, o projeto tem ações programadas até fevereiro de 2009.

As equipes das unidades de saúde envolvidas no projeto atuam na divulgação de informações que permitam as crianças e adultos desenvolverem ações visando o combate à proliferação de focos do mosquito Aedes Aegipty, transmissor da doença. Os profissionais ainda orientam sobre as formas de prevenção e combate a dengue.

A dengue é um dos principais problemas de saúde pública no mundo. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que entre 50 a 100 milhões de pessoas se infectem anualmente, em mais de 100 países, de todos os continentes, exceto a Europa. Cerca de 550 mil doentes necessitam de hospitalização e 20 mil morrem em conseqüência da doença. É uma doença infecciosa febril aguda causada por um vírus da família Flaviridae e é transmitida através do mosquito Aedes aegypti, também infectado pelo vírus.

A dengue clássica é uma forma mais leve da doença e semelhante à gripe. Geralmente, inicia de uma hora para outra e dura entre 5 a 7 dias. A pessoa infectada tem febre alta (39° a 40°C), dores de cabeça, cansaço, dor muscular e nas articulações, indisposição, enjôos, vômitos, manchas vermelhas na pele, dor abdominal (principalmente em crianças), entre outros sintomas. Os sintomas duram até uma semana. Após este período, a pessoa pode continuar sentindo cansaço e indisposição.

Já a hemorrágica é grave e se caracteriza por alterações da coagulação sanguínea da pessoa infectada. Inicialmente se assemelha a dengue clássica, mas, após o terceiro ou quarto dia de evolução surgem hemorragias em virtude do sangramento de pequenos vasos na pelo e nos órgãos internos.

Pode provocar hemorragias nasais, gengivais, urinárias, gastrointestinais ou uterinas. Assim que os sintomas de febre acabam, a pressão arterial do doente cai, o que pode gerar tontura, queda e choque. Se a doença não for tratada com rapidez, pode levar à morte.