Programa pró-Taquari é um fato histórico para os pantaneiros

A formulação do programa de ações para promover a proteção e recuperação ambiental da bacia do Rio Taquari, lançado ontem, 8, pela Presidência da República em Corumbá atende ao clamor de mais de 30 anos dos pantaneiros que vivem com o drama do desastre ambiental do importante afluente do Rio Paraguai.

A afirmação é do presidente do Sindicato Rural de Corumbá, Pedro Luiz Lacerda, que se emocionou ao discursar no evento realizado na sede da entidade, com a presença de lideranças políticas e membros do Grupo de Trabalho Interministerial (GTI), organismo responsável pela elaboração do programa pró-Taquari. “Estamos vivenciando um fato histórico”, disse Lacerda.

O dirigente ruralista lembrou dos pantaneiros que lutaram por esse momento, alguns já falecidos, e em tom de desabafo citou que a classe ruralista foi, muitas vezes, incompreendida ao tentar salvar o Taquari de tamanha devastação.

“Fomos chamados de provocadores dessa agressão. Foram anos de lutas e desilusões, que nos renderam até processos. O passivo ambiental era todo nosso”, comentou.

Lacerda disse que, no passado, o Ministério Público e ambientalistas radicais impediram qualquer ação para recuperar o rio e reduzir os impactos sociais e econômicos no Pantanal. “Eles não tinham compromissos com a nossa região”, apontou ele.

Sonho real

O presidente do Sindicato Rural agradeceu e destacou os parceiros Ruiter Cunha de Oliveira, prefeito de Corumbá; o governador André Puccinelli, “que acreditou e abraçou a nossa causa”; a vereadora Cristina Lanza (PT), e Anízio Bispo, corregedor-geral do Ministério Público Estadual.

Lacerda também rendeu homenagens ao senador pantaneiro Delcídio do Amaral (PT/MS), dizendo que ele é a salvação para o clamor dos pantaneiros, tornando um pesadelo em sonho real. “Os pantaneiros reconhecem seu trabalho, temos uma grande dívida com o senador”, acrescentou.

“Hoje estamos caminhando juntos, produtores, os governantes e o Ministério Público. É um momento muito especial”, ressaltou.

Um grande número de fazendeiros tradicionais e taquarizanos participaram do lançamento do programa, atendendo ao chamamento do Sindicato Rural de Corumbá. Entre eles, dona Berenice Castello, 84 anos, símbolo da luta pela recuperação do Taquari. Sua fazenda, de sete mil hectares, está debaixo d’água na região do Cedro.