Prefeitura mantém ação de combate à dengue em Corumbá

 Prefeitura de Corumbá

  
Ações de combate à dengue vão até final desta semana e são importantes para eliminar focos do mosquito Aedes aegypti

A Prefeitura Municipal, através da Secretaria Executiva de Saúde, continua desenvolvendo uma intensa campanha de combate à dengue em regiões que apresentaram índices elevados de proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença. Os trabalhos foram iniciados na última segunda-feira, serão concluídos neste final de semana e, no início de janeiro, novo levantamento será realizado, para saber se estas ações surtiram efeitos.

O trabalho está sendo desenvolvido por 57 equipes da Secretaria Executiva de Saúde, integradas por 114 agentes de endemias e comunitários. Eles estão visitando todos os imóveis destas localidades com índices preocupantes, para eliminar os focos e, ao mesmo tempo, orientar os moradores sobre a necessidade de manter quintais e terrenos limpos, livres de qualquer tipo de material que possa acumular água, apropriado para proliferação da larva do Aedes.

O mutirão está acontecendo simultaneamente nas regiões do centro da cidade, setores entre as ruas Edu Rocha e Frei Mariano, da Porto Carrero até as margens dos trilhos, e nas proximidades da escola estadual Maria Leite. Nestes dois locais, os números apontados por uma pesquisa de índice de infestação predial do mosquito transmissor da dengue atingiu 20% e 6,98%, respectivamente.

Outras regiões que estão sendo atendidas pela ação são os bairros Guatós (1,80%), Guanã (3,67%), Kadwéus (2,17%), Nova Corumbá (3,27%), Centro América (1,83%), Cravo Vermelho (1,58%) e o Cristo Redentor (1,01%). O objetivo é visitar todos os imóveis localizados nestas áreas, para reverter a situação atual.

Conforme a pesquisa, Corumbá, no geral, está com índice baixo de 1,35%, 0,35% acima do aceitável pela Organização Mundial de Saúde, que é de até 1%. Mas, nestas regiões, os índices são considerados alarmantes, exceto no Cristo Redentor que está tendo a ação, mesmo com baixa incidência de proliferação do mosquito. É que na área, houve aumento das notificações de casos suspeitos da doença.

Uma das maiores preocupações do setor de saúde pública é o centro da cidade, principalmente o setor da Edu Rocha à Frei Mariano, entre a Porto Carrero e margens dos trilhos. Somente neste trecho, os agentes realizaram um levantamento em 274 casas. Foram coletadas 275 larvas de mosquito e 248 eram do Aedes aegypti. Grande parte estava em vasos de plantas, lixo em fundos de quintais e sucatas.