Prefeitura inicia ação para evitar avanço da dengue em Corumbá

 Prefeitura de Corumbá

  
Agentes iniciaram ação rigorosa para combate ao mosquito Aedes aegypti em Corumbá

A Prefeitura iniciou nesta segunda-feira, uma ação mais intensa para combater a dengue em Corumbá. Os trabalhos estão acontecendo em regiões que apontaram índices alarmantes de proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença. Durante toda esta semana, equipes da Secretaria Executiva de Saúde Pública, integradas por 114 agentes de endemias e comunitários, vão visitar todas as casas existentes nestas localidades, para eliminar os focos e, ao mesmo tempo, orientar os moradores sobre a necessidade de manter quintais e terrenos limpos, livres de qualquer tipo de material que possa acumular água, apropriado para proliferação da larva do Aedes.

O mutirão está acontecendo simultaneamente nas regiões do centro da cidade, setores entre as ruas Edu Rocha e Frei Mariano, da Porto Carrero até as margens dos trilhos, e nas proximidades da escola estadual  Maria Leite. Nestes dois locais, os números apontados por uma pesquisa de índice de infestação predial do mosquito transmissor da dengue atingiu 20% e 6,98%, respectivamente,

Outras localidades que estão sendo atendidas pela ação são os bairros Guatós (1,80%), Guanã (3,67%), Kadwéus (2,17%), Nova Corumbá (3,27%), Centro América (1,83%), Cravo Vermelho (1,58%) e o Cristo Redentor (1,01%). O objetivo é visitar todos os imóveis localizados nestas áreas, para reverter a situação atual.

Conforme a pesquisa, Corumbá, no geral, está com índice baixo de 1,35%, 0,35% acima do aceitável pela Organização Mundial de Saúde, que é de até 1%. Mas, nestas regiões, os índices são considerados alarmantes, exceto no Cristo Redentor que está tendo a ação, mesmo com baixa incidência de proliferação do mosquito. É que na área, houve aumento das notificações de casos suspeitos da doença.

Centro preocupa

Uma das maiores preocupações do setor de saúde pública é o centro da cidade, principalmente o setor da Edu Rocha à Frei Mariano, entre a Porto Carrero e margens dos trilhos. A gerente de vigilância em Saúde, Viviane Ametlla, explicou que os números estão sendo revistos, para saber se não há erros. Mesmo assim, a área já está sendo visitada pelas equipes de agentes. “Não podemos esperar. Temos que agir rápido e é isto que estamos fazendo”, explicou.

Somente neste trecho, os agentes realizaram um levantamento em 274 casas. Foram coletadas 275 larvas de mosquito e 248 eram do Aedes aegypti. Grande parte estava em vasos de plantas, lixo em fundos de quintais e sucatas.

Para o comerciante Lúcio Freitas, a ação da Prefeitura é importante. Sua empresa, localizada na Porto Carrero, foi visitada pelos agentes logo cedo. Colocou-se à disposição e acompanhou a equipe, ouvindo atentamente as orientações. “Temos que estar atentos para evitar a dengue. Este trabalho ajuda no combate”, disse, preocupado com o bairro onde reside, o Dom Bosco. Foi informado que está dentro do índice aceitável.

Outro imóvel visitado pela equipe foi o Centro de Educação Infantil Estrelinha Verde. A diretora Luciene Magalhães acompanhou a ação. “Aqui, estamos sempre atentos, principalmente porque trabalhamos com crianças”, disse. Segundo ela, a preocupação é um terreno ao lado que, em época de chuva, se torna “um brejo”.

O local foi visitado. Apesar da grande quantidade de água parada, os agentes não encontraram larvas de mosquito. A explicação é que as rãs que habitam a área, são as responsáveis pela limpeza, se alimentando de mosquitos e outros insetos.