Ponte no Taquari vai ligar Nhecolândia ao Paiaguás

Além do programa de recuperação do rio Taquari, outro assunto em pauta é a construção de uma ponte de concreto, com 170 metros de extensão e 4,5 metros de largura, ligando a região da Nhecolândia ao Paiaguás, investimentos estimados de R$ 2 milhões.

A obra, que será executada pelo Governo do Estado com recursos do Fundersul (Fundo de Desenvolvimento do Sistema Rodoviário do Mato Grosso do Sul), já foi tema de um encontro entre produtores rurais; os prefeitos de Corumbá, Ruiter Cunha de Oliveira, e de Coxim, Moacir Kohl; o secretário estadual de Obras Públicas e de Transportes, Edson Giroto, e o governador André Puccinelli.

A reunião aconteceu na Fazenda Dois de Maio. Na época, Ruiter afirmou que a construção da ponte era uma reivindicação antiga dos produtores. “Foram determinantes a mobilização da classe produtora e o apoio político para se dar início à concretização deste sonho. Ele representa não somente a redução de custos aos produtores, mas o desenvolvimento econômico e a melhoria da qualidade de vida das famílias da região”, disse.

Segundo o prefeito, além de encurtar distâncias, a ponte também facilitará o acesso de serviços diversos às regiões, onde há cerca de 300 fazendas.

Nhecolândia e Paiaguás não têm ligação por terra. Depois da proibição de atravessar o gado pelo rio Taquari, por parte de órgãos ambientais, os produtores foram obrigados a desviar do rio pelo município de Coxim, o que praticamente dobra o tempo gasto no transporte dos animais a serem comercializados – em determinadas regiões, o transporte demora 47 dias –, além de prejudicar a qualidade e ocasionar perdas no rebanho.

Quem também participou do lançamento, na época, foi o presidente do Sindicato Rural de Corumbá, Pedro Luiz de Souza Lacerda. Segundo ele, a construção da ponte representa a realização de um sonho. “Esta é uma reivindicação antiga dos produtores, que vêm enfrentando muitas dificuldades na região. Tínhamos que percorrer até 350 km a mais para desviar o gado por Coxim. Mas, felizmente, todos se mobilizaram e, com vontade política, foi possível este momento”, disse.

O deputado Paulo Duarte também destacou a união dos produtores e da classe política, determinante para garantir a execução da obra. “A região deixará de ficar isolada, o que também resultará em melhor qualidade de vida às famílias. Tudo isso é fruto da movimentação e união dos produtores e do envolvimento dos prefeitos, deputados e do governador”, disse.