Oficina discute cooperação técnica para Travessia do Pantanal

 Prefeitura de Corumbá
  

 Grupo definiu Corumbá e Cáceres (MT) como pólos do projeto

O projeto da rede de cooperação técnica para roteirização da Travessia do Pantanal está sendo discutido em uma oficina promovida pela Prefeitura de Corumbá; Ministério do Turismo e Sebrae. A reunião envolve representantes dos governos de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso; do Sebrae dos dois estados; das Prefeituras de Corumbá e Cáceres; além de empresários turísticos das duas regiões. O encontro – que teve início no dia 03 de dezembro – acontece durante todo o dia hoje na sede do Sebrae, na avenida Rio Branco.

Dominam o tema das discussões questões ligadas às definições do recorte territorial de cada destino e dos atores locais para a efetivação do projeto; diagnóstico dos territórios envolvidos na roteirização da travessia; implantações dos planos estratégico-operacional do roteiro e de ações concretas para inserção dos produtos no mercado.

Uma das medidas já definidas pelo grupo de trabalho estabeleceu as cidades de Corumbá (MS) e Cáceres (MT) como pólos da Travessia. A partir desses dois municípios as ramificações do roteiro serão definidas gradativamente. “A nossa missão é trabalhar a confecção desse roteiro dentro do Pantanal nos dois estados”, esclareceu Simone Lara, representante da Secretaria Estadual de Turismo de Mato Grosso.

Ela explicou que já existem roteiros menores, dentro do próprio Pantanal, que oferecem diversas opções de produtos e a idéia é trabalhar cada um deles para desenvolver o projeto e concretizar a travessia completa no futuro. “Temos o Pantanal que nos une, é um patrimônio único que é vendido para o mundo. Agora é trabalhar em conjunto”, afirmou a representante do governo mato-grossense.

Para Silvio Carlos Pereira, gerente de Políticas e Programas de Desenvolvimento de Turismo da Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul, a roteirização vai “criar maiores oportunidades de venda do produto e destino Pantanal”, avaliou. Pereira destacou que inicialmente as cidades de Cáceres; Poconé; Corumbá e Porto Murtinho serão “a espinha dorsal” desse projeto de travessia.

José de Carvalho Júnior, gerente de Fomento da Secretaria Executiva de Turismo de Corumbá, disse que uma das metas da Prefeitura é “diversificar o setor de turismo da cidade. O município apóia o projeto de roteirização da Travessia do Pantanal e trabalha na efetivação de recursos sempre que necessário”.

As atividades terminam amanhã, dia 05, com a realização de visitas técnicas a pontos turísticos e empresas que atuam neste segmento na cidade.