Guias levam o turista ao contato direto com a natureza

 Prefeitura de Corumbá

  
Presença de guia é fundamental para se conhecer detalhes do Pantanal

As atividades ecológicas na Estrada-Parque, acompanhadas por guias especializados e bilíngües, colocam o visitante em contato direto com a natureza exuberante do Pantanal. As caminhadas por trilhas, cavalgadas, os safáris fotográficos e os passeios de barco ou canoa canadense possibilitam observar animais e aves, alguns raros.

As pousadas operam com pacotes completos e também com grupos que preferem apenas desfrutar da hospitalidade pantaneira e conhecer a culinária local e a beleza do ambiente que cerca as propriedades, algumas antigas fazendas de gado. Atravessar a estrada já é um deleite, pois a paisagem e a fauna são um convite.

Os safáris e a focagem noturna são realizados em veículos tipo jardineiras, na seca ou na cheia do Pantanal. As cavalgadas são mais interessantes no período (fevereiro a julho) das águas, quando se tem contato com as baías – adrenalina pura na travessia com água no peito dos cavalos pantaneiros. O turista se sente um peão.

No passeio a cavalo, com ou sem os banhados, o prazer é o mesmo. As revoadas de pássaros dão as boas vindas. No caminho, entre porteiras e trilhas feitas pelo gado, surgem os tuiuiús, as garças, as garças, o tamanduá-bandeira. Os jacarés se amontoam nas prainhas das baías, onde é possível observar as ariscas ariranhas, em bandos.

Onça-pintada

As caminhadas, que duram até duas horas, revelam o conhecimento do guia pantaneiro e revelam ambientes selvagens que abrigam a fauna, no meio dos capões. Surgem os macacos, as araras-azuis, o veado matreiro, os quatis, as cobras e até as temíveis queixadas. No retorno à pousada, a focagem noturna das capivaras atravessando a estrada.

Pousadas incluem nos pacotes o contato direto com os peões, na ordenha, no manejo do gado, no manuseio do laço. Os passeios fluviais pelos rios Miranda, Abobral e Vermelho podem colocar o turista frente a frente com a onça-pintada – uma questão de sorte. Pesca de piranha é uma das diversões prediletas dos estrangeiros.