Escolha dos homenageados seguiu critérios da SEDH

Para a definição dos 60 homenageados a Subsecretaria de Ações da Cidadania, em parceria com o Fórum Permanente de Entidades Não Governamentais de Corumbá e Ladário (Forumcorlad) instituiu um Regimento Interno estabelecendo as normas que deveriam ser seguidas pelo Comitê de Julgamento para a escolha. O regimento seguiu os moldes estabelecidos pela Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República (SEDH/PR).

A seleção primou pela análise de critérios relacionados ao histórico de atuação na área de direitos humanos; avaliação do desenvolvimento de ações relevantes no período de 1948 a 2008; e a implementação de práticas inovadoras em relação ao tema, por parte dos indicados. Não foram aceitas auto-indicações ou indicações de membros titulares das instituições integrantes do Comitê de Julgamento.

A Declaração

No dia 10 de dezembro de 1948, cinqüenta e oito Estados membros da Assembléia Geral da ONU assinaram, em Paris, um documento que marcaria a história dos direitos humanos no mundo. A Declaração Universal dos Direitos Humanos definiu, por escrito, o que todo homem tem direito ao nascer. 

Em trinta artigos, o texto enumera os direitos humanos, civis, econômicos, sociais e culturais “inalienáveis” e “indivisíveis”. Na época, a maioria dos países aprovou o texto, com exceção da União Soviética, dos países do Leste europeu, da Arábia Saudita e da África do Sul, que se abstiveram. Inspirada na declaração francesa dos direitos humanos e do cidadão, de 1789, e na declaração de Independência dos Estados Unidos, de 1776, a carta tem em sua origem os traumas provocados pela Segunda Guerra Mundial.  Com informações do site G1.