Prefeitura orienta sobre tráfego de veículos pesados no centro

 Prefeitura de Corumbá

  

 Caminhões  para Bolívia terão rota específica

A Prefeitura de Corumbá inicia na próxima semana ação para orientar condutores sobre o projeto que ordena o fluxo de veículos de cargas no perímetro urbano da cidade. Trabalho desenvolvido pela Agência Municipal de Trânsito e Transporte (Agetrat) definiu trajeto específico para caminhões e carretas com destino à Bolívia e um perímetro de restrição da circulação desse tipo de veículo na área urbana corumbaense. O projeto atende determinação do prefeito Ruiter Cunha de Oliveira.

Estudo da Agetrat implantou trajeto para as carretas que têm a Bolívia como destino. Levantamento mostra que o fluxo para o país vizinho é de cerca de 180 caminhões por dia. A rota é provisória até a conclusão do anel viário, que é o traçado original. O acesso obrigatório para o escoamento de cargas pesadas já está totalmente sinalizado – 74 placas indicam o caminho a ser percorrido – e tem uma extensão de 11 quilômetros.

O percurso definido começa com a entrada na cidade pela avenida Gaturama. Na seqüência, os caminhões devem contornar a rotatória da rua Albuquerque, seguindo pelas ruas Hélio Benzi, Geraldino Martins de Barros, Theodomiro Serra, 15 de Novembro, Gonçalves Dias, Edu Rocha, Monte Castelo, Goiás, Gonçalves Dias até a chegada na Agesa.

Atualmente, o trânsito pesado é regulamentado por uma lei municipal de 1987, que delimita como área de proibição para cargas e descargas o perímetro compreendido pela avenida General Rondon e ruas 13 de Junho, 7 de Setembro e Antônio João, no Centro da cidade.

Máxima restrição

A zona de máxima restrição de circulação de caminhões e carretas – acima de 5 toneladas – foi ampliada e agora abrange toda a área urbana de Corumbá. O alcance da faixa de proibição compreende o perímetro que vai da avenida Nossa Senhora da Candelária até a avenida Gabriel Vandoni de Barros e da avenida General Dutra até o Porto Geral.

Nessa área, o trânsito será vedado para carretas das 8h às 21h de segunda-feira a sexta-feira; das 8h às 18h aos sábados e; das 8h às 14h aos domingos. Cavalo mecânico tem proibição de circulação de 24 horas nessa faixa delimitada. Como parte desse processo, foram instaladas placas nas ruas Porto Carrero e Ricardo Franco com a proibição de parada e estacionamento de caminhões. 

A diretora-presidente da Agetrat, Silvana Ricco Ortiz, explicou que o reordenamento do tráfego tem como objetivos garantir a segurança da população; preservar a mobilidade pelas vias públicas, além de manter a prestação dos serviços ao comércio com maior segurança.

Segundo a diretora da Agência de Trânsito, serão emitidas licenças especiais em casos específicos, como supermercados, por exemplo, para o transporte de produtos perecíveis. Entretanto, mesmo com as autorizações, uma série de regras terá de ser cumprida para que esses veículos possam trafegar. 

Redução de fluxo

 “Com a regulamentação a população terá a redução do fluxo de veículos com cargas pesadas pela área central da cidade”, explicou Silvana. Ela enfatizou que o projeto de reordenamento está em consonância com o Plano Diretor do Município. Com o disciplinamento, a Prefeitura promove a adequação do sistema à realidade enfrentada pelo setor de trânsito corumbaense. Decreto municipal com a reordenação do tráfego pesado está em fase final de elaboração.

O projeto teve como base legislações e experiência das cidades de São Paulo; Dourados e Campo Grande. A capital do Estado, observou a diretora da Agetrat, enfrenta situação semelhante à de Corumbá na proposição de organizar o trânsito.

O projeto de reordenamento do trânsito de cargas foi amplamente discutido com representantes dos mais variados setores do comércio e transportes da cidade. Orientações a respeito do novo modelo podem ser obtidas na Agetrat pelo telefone 3231-1560.