Ladário fortalece acordo de cooperação transfronteiriço

 Prefeitura de Corumbá

  
José Antônio, prefeito eleito de Ladário, diz que sua cidade fará parte do processo, na luta pelo desenvolvimento integrado

Ladário passa a integrar o fórum permanente dos municípios pantaneiros da fronteira, a partir de 2009, anunciou hoje o prefeito eleito José Antônio Assad e Faria, ao participar da abertura dos trabalhos do fórum que reúne as comissões de Corumbá e das cidades bolivianas de Puerto Quijarro e Puerto Suarez.

José Antônio, que coordenou a fase de implantação do acordo de cooperação como secretário de Gestão Governamental na administração de Ruiter Cunha de Oliveira, disse que Ladário, na sua gestão, terá representatividade atuante nesse fórum. Em sua breve fala, afirmou que seu município não poderia ficar ausente de um plano de ação que visa fortalecer a gestão pública da região.

O encontro iniciado esta manhã, no Hotel Gold Fish, é uma seqüência da primeira oficina das comissões, que aconteceu em julho, destinada à identificação de projetos e programas de interesses comuns entre os municípios que assinaram a carta de intenções, em abril.

Após a abertura, com a presença do prefeito Ruiter Cunha de Oliveira e seu secretariado, os representantes de Puerto Quijarro e Puerto Suarez apresentaram as conclusões de suas comissões, traçando um diagnóstico de suas cidades, que tem sérios problemas de infra-estrutura e propondo um cronograma de ações.

Cenário

Em seguida, foi iniciado o trabalho em grupos, com a participação do prefeito de Corumbá, secretários, técnicos da administração municipal e autoridades bolivianas. O prefeito eleito de Ladário também participou de um dos três grupos, onde foram discutidos os problemas do lado brasileiro com foco na cooperação com o vizinho país.

Na abertura dos trabalhos, os professores universitários Roberto Paixão, Marco Aurélio e Tito Carlos fizeram uma breve explanação da importância da integração regional e a fronteira Brasil-Bolívia, bem como da metodologia para construção do plano de ações.

“Um plano de ação para a integração Brasil-Bolívia deve ser analisada pela ótica da fronteira, onde os problemas se multiplicam”, disse o professor Tito Carlos. “E os problemas mais graves não estão sob o domínio local, mas dos governos centrais, em Brasília e La Paz. Por isso este fórum tem uma importância relevante”, completou.

As prefeituras de Puerto Quijarro e Puerto Suarez foram representadas, respectivamente, pelos técnicos Juan Pablo Martinez e José Carlos Ayala. Presentes também ao fórum alunos do curso de mestrado em Estudos Fronteiriços, promovido pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.