Criador demonstra otimismo com a carne do cordeiro

 Prefeitura de Corumbá

  
Pólo foi implantado no sítio de Francisco (camisa branca) e tem toda assistência dos parceiros

O pequeno produtor rural de Corumbá está otimista. Acredita que, neste final de ano, no Natal e Ano Novo, a carne do cordeiro passará a fazer parte da mesa do consumidor corumbaense. Pelo menos esta é aposta de Francisco Assis Santana, proprietário do sítio Santana, transformado em pólo para confinamento do cordeiro.

É criador de ovelhas já há algum tempo. No entanto, passou a pensar na produção em escala comercial, após participar do curso sobre Manejo Básico de Ovino de Corte. Hoje, conta com 86 animais, dos quais, 19 cordeiros em confinamento.

“O curso foi o início de tudo. A expectativa é boa, estou esperançoso”, diz o produtor, com esta nova fonte de renda. Somente agora, após oito anos trabalhando com o animal, é que optou pela produção do ovino de corte.

O seu sítio foi escolhido também para ser um dos pólos produtor de sorgo. Nos próximos dias, maquinário da Prefeitura fará o preparo do solo para o plantio de duas hectares da cultura. A Pantagro também é parceira. Toda a produção será destinada a silagem, destinada a engorda dos animais, especialmente as matrizes, de todos os proprietários incluídos no programa.

Para o médico veterinário Carlos Leite Junior, o alimento será importante, especialmente no período de seca. Comenta que tudo isto faz parte da parceria estabelecida c om a Prefeitura, de fomento à ovinocultura, para atender pequeno produtor rural.

Segundo ele, o projeto desenvolvido através da Urucum Pantanal Sheep (UPS), em parceria com a Prefeitura, já está apresentando resultados positivos. Além de incrementar a produção de ovelhas na região, o projeto prevê desenvolvimento de cursos de Manejo Básico de Ovino de Corte, que está permitindo a pequeno produtor, se inserir no mercado sul-mato-grossense, através dessa cultura.

O curso é desenvolvido pela Prefeitura, através da Secretaria Executiva de Desenvolvimento Agropecuário, e pela Fazenda Nhuporã, através da USP, e é ministrado por Junior, também instrutor do Senar (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural), que presta assistência técnica.