Corumbá garante recurso para recuperação do Hotel Galileu

 Arquivo PMC

  

Galileu, um dos prédios históricos de Corumbá

O prefeito Ruiter Cunha de Oliveira anunciou que Corumbá foi contemplado com recursos Ministério do Turismo. São R$ 570 mil para investir na revitalização do antigo Hotel Galileu, um dos mais expressivos exemplares arquitetônicos tombados pelo Patrimônio Histórico Nacional, localizado no centro da cidade.

Em outubro do ano passado, após articulações com a bancada federal e a participação do deputado estadual Paulo Duarte (PT), o prefeito assegurou verbas importantes do Ministério do Turismo para obras de infra-estrutura, num total de R$ 2,1 milhões, dos quais R$ 487,5 mil para o Hotel Galileu. O projeto de recuperação do prédio foi aprovado pela Caixa Econômica Federal (CEF).

O histórico prédio, situado na esquina da Avenida General Rondon com a rua Frei Mariano recebeu uma reforma emergencial este ano, para impedir desabamentos que poderiam comprometer sua estrutura, e será transformado em um Centro de Atendimento ao Turista (CAT). A Prefeitura participará do projeto de reforma com a contrapartida de R$ 82,5 mil, totalizando R$ 570 mil.

O secretário de Desenvolvimento Sustentável, Cássio Costa Marques, adiantou que a prefeitura procederá, agora, a licitação da obra, que deve começar no início do próximo ano. “O CAT será uma referência de todos os atrativos turísticos e culturais da nossa região, prestando ao turista todas as informações e serviços que ele precisa para aproveitar sua visita e sentir-se bem em nossa cidade”, explicou.

Desapropriação

Cássio disse que a revitalização do prédio do Hotel Internacional, um anexo ao Galileu, ocorrerá em uma segunda etapa. O prefeito Ruiter Cunha garantiu também contrapartida do município para garantir recursos do Programa Monumenta para esta obra de grande expressividade, segundo o secretário, por se tratar de um espaço nobre e de significância histórica.

As intervenções do município no Galileu, que ameaçava ruir devido a seu estado de abandono e ação dos vândalos, ocorreu a partida do decreto de desapropriação, assinado em 2 de dezembro de 2006 pelo prefeito Ruiter Cunha. A medida garantiu a preservação do imóvel, que se encontrava em processo avançado de deterioração e descaracterização. O Imóvel foi fechado, lacrando portas e janelas.

Centenário

Com o apoio do Iphan (Instituto Nacional do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), a prefeitura executou um projeto emergencial este ano, no valor de R$ 370 mil, recuperando fachadas, telhado e esquadrias. O novo projeto vai restaurar o piso, forro, portas, paredes e instalações hidráulicas e elétricas. “O Galileu é um dos maiores símbolos da nossa história”, afirma Ruiter Cunha.

Construído em 1907, pelo arquiteto italiano Fernando Mármore, em estilo eclético, variando entre o neoclássico ao art-noveau, o imóvel embeleza o conjunto arquitetônico localizado na Avenida General Rondon, com vista privilegiada para o rio Paraguai e o Pantanal. Foi de uma janela do Galileu, segundo a história, que o sanfoneiro Mário Zan, falecido, compôs Chalana, um dos clássicos da música regional.