Saúde quer ampliar ações contra doenças endêmicas na fronteira

 Arquivo PMC
  
Na Bolívia, Prefeitura de Corumbá já atua no combate à raiva animal

A Prefeitura de Corumbá vai aproveitar a Reunião Binacional Brasil – Bolívia, para propor desenvolvimento de ações de combate à dengue e leishmaniose nas cidades bolivianas da Província de German Busch (El Carmen, Puerto Quijarro e Puerto Suarez). O encontro está programado para o período de 22 a 26 de outubro, em Puerto Suarez, e o assunto em questão, conforme proposta encaminhada pelas autoridades bolivianas, se refere somente à raiva animal.

A reunião faz parte da carta de intenções dos municípios pantaneiros da fronteira Brasil-Bolívia, assinada pelos prefeitos Ruiter Cunha de Oliveira (Corumbá), Aldo Clavijo Viruez (Puerto Quijarro) e Romualdo Hurtado (Puerto Suarez), que prevê ações voltadas para os setores de desenvolvimento social e serviços básicos; economia e produção; segurança pública e política migratória, e gestão dos recursos naturais.

Segundo a gerente de vigilância em saúde da Secretaria Executiva de Saúde da Prefeitura de Corumbá, Viviane Ametlla, a proposta encaminhada pelas autoridades bolivianas está baseada somente na questão da raiva animal. “Existem outros problemas endêmicos que também precisam ser tratados e combatidos de forma conjunta entre os dois lados. Vamos aproveitar esta reunião é amplias as ações, atingindo também a dengue e a leishmaniose”, explicou.

O encontro terá participação de autoridades ligadas aos ministérios de saúde da Bolívia e do Brasil; Programa de Zoonoses de Santa Cruz; Gerência da Rede de Saúde da Província de German Busch; Organização Panamericana de Saúde/Bolívia, além de representantes das prefeituras dos três municípios bolivianos e da prefeitura de Corumbá.

“Se trata de uma reunião convocada pelas autoridades bolivianas para discutir as ações relacionadas ao combate da raiva animal. A Prefeitura de Corumbá já está realizando um trabalho conjunto com a Bolívia neste sentido. Agora, a nossa proposta é estender também à dengue e leishmaniose, duas outras doenças endêmicas que devem ser tratadas e combatidas de forma conjunta”, explicou.

Viviane acredita que, através de um trabalho conjunto, haverá condições de reduzir casos dessas doenças na região de fronteira. Segundo ela, não adianta apenas Corumbá combater a dengue, sem uma efetiva ação do outro lado da fronteira. Deve ser mais intenso também na Bolívia”, disse a gerente, lembrando que a mesma situação se aplica à leishmaniose.

Reunião

A pauta proposta pelas autoridades bolivianas prevê discussão sobre cobertura vacinal, vigilância epidemiológica, campanhas de vacinação em massa, formalização de convênios binacionais, além de outros assuntos relacionados à raiva animal.