Oficina leva conhecimento sobre natureza a estudantes

 Prefeitura de Corumbá

  
Na Escola Izabel Corrêa, alunos aprendem sobre a fauna pantaneira

O Festival Pantanal das Águas, aberto hoje, 8, em Corumbá, não se resume apenas a shows, pesca e lazer para a população corumbaense e turistas que visitam a região nesta época. Proporciona também conhecimentos, principalmente sobre questões ligadas ao meio ambiente. E isto está sendo possível através das Oficinas Natureza, destinadas a alunos das escolas das redes pública e particular da cidade, que estão tendo uma oportunidade de conhecer um pouco mais da fauna pantaneira.

As oficinas integram a diversificada programação do Festival realizado pela Prefeitura de Corumbá, em parceria com a TV Morena. Na manhã de hoje, alunos de duas escolas tiveram a oportunidade de ampliar seus conhecimentos através de uma aula diferente proporcionada pelo biólogo Carlos André Zucco, biólogo do Instituto do Homem Pantaneiro, e pela turismóloga Lineize Martins, da Secretaria Executiva de Meio Ambiente.

Zuco destacou que a oficina está propiciando oportunidade para as crianças corumbaenses conhecerem “a fauna pantaneira”. Isto foi possível através da apresentação de vídeos e fotos dos mais diferentes animais da região, com informações sobre o seu habitat.

O biólogo lembra que, devido à tecnologia, as crianças conhecem mais animais como elefante, canguru, entre outros, mas que não fazem parte do sistema pantaneiro. Por isto mesmo, considera import5ante esta oportunidade que está sendo proporcionada pelo Festival Pantanal das Águas que está oportunizando maiores conhecimentos às crianças, sobre detalhes da “nossa fauna”.

“Atrás da oficina, as crianças estão criando uma empatia com os nossos animais, se familiarizando com eles e sabendo da importância de se preservar. O foco é mostrar a nossa fauna”, enfatizou o biólogo, favorável à difusão dessa matérias em todas as disciplinas escolares. “E não seria apenas os mamíferos, os répteis, mas também trabalhar com tudo aquilo que temos. A literatura, por exemplo, deveria focar a cultura pantaneira, Manoel de Barros, entre outros. Em história, poderíamos focar o Pantanal. Enfim, estudar as coisas do nosso entorno, para formarmos cidadãos mais conscientes do espaço em que ele vive”, ressaltou.

Lineize Martins informou que a Oficina Natureza está atendendo quatro escolas por dia na cidade. Serão 12 estabelecimentos ao todo até sexta-feira. “Todas receberam de bom grado. É um complemento à disciplina dos alunos que demonstram interesse maior. Uma oportunidade de obterem novos conhecimentos”, disse.

Izabel Corrêa

Uma das escolas visitada foi a Izabel Correia. A oficina atendeu 32 alunos da 5ª série através de uma aula diferente, “diversificada”, como definiu a coordenadora Vanusa Nunes de Souza Vieira, “importante para gerar uma cultura de preservação do nosso ambiente. Não ficou apenas no tema pesque-e-solte. A natureza de uma maneira geral foi focada na oficina. Eles adoraram e vão ser multiplicadores junto aos outros alunos e aos familiares”, disse.

Para a coordenadora foi uma aula diferente, interdisciplinar. “Foi um tema que proporcionou noções sobre ciência, geografia, história e outras disciplinas. Foi um aprendizado diferente e as crianças tiveram oportunidade de ter acesso a informações interessantes sobre o Pantanal, e que poderão ser levadas para a prática deles”.

Para Daniele Aparecida, 10 anos, a aula foi “diferente” mas importante. “Conheci muito coisa sobre a natureza. Os nossos animais, como eles vivem, o que comem. Foi bom”, disse. “Foi importante também para a gente saber que precisamos preservar o nosso meio ambiente”, completou Luciene Naiara Moraes da Silva, 10 anos.