FPA: Alunos da REME fazem coleta seletiva na orla do Porto

Prefeitura de Corumbá
  

 Crianças da escola Cyríaco de Toledo participaram da atividade

Alunos da 6ª série da escola Cyríaco Felix de Toledo realizaram uma atividade diferente na manhã desta quarta-feira, 08 de outubro, na orla do Porto Geral de Corumbá. Supervisionados pela educadora ambiental da SEMAC (Secretaria Executiva de Meio Ambiente), Lenir Alencar Peinado, e pela professora de Biologia e Ciências, Fátima Seher, as crianças recolheram latas, garrafas e materiais plásticos jogados na margem do rio Paraguai.

“O foco principal da atividade é criar uma atitude critica nesses alunos”, explicou Lenir. “É importante que eles observem que, apesar do crescimento da conscientização ambiental no município, as pessoas continuam poluindo o rio com materiais que poderiam ser reaproveitados”, continuou. Além de auxiliar na limpeza da orla, os jovens distribuíram folderes educativos sobre a coleta seletiva. “O programa piloto de coleta seletiva está funcionando desde o ano passado. Em sala de aula, mostramos a importância de separar o lixo úmido do lixo seco para o meio-ambiente”, disse Fátima Seher.

Lucas Renato Garcia, de 13 anos, já conhece bem o rio e sabe da importância de manter a margem sempre limpa. “Todo o ano eu participo do Festival (Infantil) de Pesca. Ano passado eu peguei só um peixe. Mas nesse ano, com tudo aqui bem limpo, vou pescar um monte”, afirmou. “Se as pessoas ficarem poluindo, podem prejudicar a vida de muitas pessoas e também matar os peixes daqui. É errado jogar sujeira no rio”, advertiu Carla Cristina, de 14 anos. “Isso se chama depredação”, complementou a estudante. No total, 23 alunos participaram da atividade.

A ação foi realizada em conjunto entre a SEMAC e a SETUR (Secretaria Executiva de Turismo). A intenção é fazer da coleta uma atividade constante no calendário de eventos do município.

Coleta

O projeto de coleta seletiva já é realidade na área central de Corumbá. Desde outubro de 2007, caminhões da Unipav percorrem 100 quadras, compreendidas no quadrilátero entre as ruas Edu Rocha e Albuquerque; Porto Carrero e General Rondon, e os funcionários da empresa recolhem o lixo das residências, separando o sólido do orgânico.

Materiais de metal (como latinhas), papelão, papel, plástico (inclusive garrafas pet) e vidro são armazenados em um caminhão específico, que é diferente dos demais. O veículo é branco com faixas azul, vermelha, verde e amarela.

O lixo recolhido é levado para o aterro municipal, onde os catadores, organizados em uma associação, fazem a separação dos materiais e comercializam os recicláveis. O dinheiro obtido com as vendas é dividido entre os associados.