Filme “Cabeça a Prêmio” começa a ser rodado em Corumbá

 Prefeitura de Corumbá

  

 Porto Geral é uma das locações do filme em Corumbá

Uma equipe de 55 pessoas iniciou nesta segunda-feira, 27 de outubro, em Corumbá, as filmagens do longa-metragem “Cabeça a Prêmio”, dirigido por Marco Ricca, Marcelo Aquino e Felipe Braga. De acordo com produtor Renato Faria, os artistas corumbaenses Rubem Dario, Bianca Machado e Salim Haqzan integram o elenco, além de 50 pessoas para a figuração local.

Corumbá foi escolhida para fazer parte das locações devido às belezas naturais e heranças históricas que são retratadas, através dos casarios tombados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), as ladeiras, ruas de paralelepípedos.

Um dos maiores objetivos de Ricca é compor uma figuração que mostre a miscigenação do nosso Estado. “Corumbá servirá de locação para o filme durante a fuga do casal. Vão ser retratadas as famílias ribeirinhas, a relação com o país vizinho, a Bolívia, e a miscigenação das raças”, explicou.

Para este momento, os atores principais são Alice Braga e o ator Daniel Hendler. O filme começou a ser rodado em Campo Grande no mês de setembro. Além de Corumbá, as gravações também serão realizadas na Bolívia, Campo Grande, Bonito, Sidrolândia, e Paulínia (SP).

“Assim como nos outros municípios, a Prefeitura de Corumbá foi absolutamente receptiva em relação ao projeto desde o primeiro momento. Recebemos apoio de infra-estrutura e logística desde a fase de visitas para avaliar possíveis locações, são atitudes como essa que possibilita a gravação do filme no Estado”, explicou produtora executiva do filme, Camila Groch. 

Sinopse 

A trama de Cabeça a Prêmio se desenrola a partir do núcleo familiar formado pelos irmãos Menezes – Mirão e Abílio –, prósperos pecuaristas no centro-oeste brasileiro e chefões de negócios ilícitos. O bonachão e obeso Mirão é um homem de hábitos simples, porém ambicioso e com um apetite especial pelo poder. Busca manter uma estrutura familiar sólida e não dissimula o amor possessivo e doentio que nutre pela filha Elaine. Cabeça a Prêmio narra a tentativa desesperada de Mirão em resistir às pressões em um momento em que elas parecem vir de todos os lados: da Polícia Federal, do Ministério Público – de sua própria família.

Abílio Menezes, o caçula, sempre foi hostilizado pelos irmãos por não esconder as suas preferências homossexuais num ambiente em que o machismo impera. Alvo constante de chacotas, Abílio cozinha em fogo lento todo seu ressentimento. Ele participa dos negócios representando o caminho da radicalização, da violência, e assim entra em conflito com Mirão, defensor de uma reação mais pensada e cautelosa aos ataques que eles vêm sofrendo. 

Em meio a isso, Elaine, filha de Mirão, burla a vigilância paterna e inicia uma aventura amorosa com Denis, o piloto de avião que trabalha para os Menezes – caso que o pai nunca aceitaria. Ao descobrir o romance, Abílio passa a assediar o piloto em busca de satisfação sexual, ameaçando-o de forma quase sádica.

A situação de Denis e Elaine torna-se definitivamente insustentável quando ela descobre que está grávida. Acuados, Denis e Elaine fogem, ele com um monomotor carregado de muamba. Denis tem assim a sua cabeça posta a prêmio por Mirão, que ainda desconhece que sua filha fugiu com o piloto.

Perseguido por Brito e Albano, pistoleiros e empregados da fazenda dos Menezes, Denis executa o único movimento capaz de livrá-lo das garras de Mirão: ele se entrega à Polícia Federal com Elaine. Em um acordo de delação premiada, Denis expõe o esquema dos Menezes à polícia. Com isso, Mirão e Abílio saem temporariamente de cena para escapar da Justiça.