Corumbá capacita profissionais para combate ao tabagismo

Médicos, enfermeiros e diretores de escolas da Rede Municipal de Ensino participam a partir desta quarta-feira, 22 de outubro, da Oficina de Sensibilização para Controle e Tratamento do Tabagismo. A capacitação é destinada a 78 profissionais da área de saúde e 22 do setor educacional e será desenvolvido pela Secretaria Executiva de Saúde Pública, veiculada à pasta da Secretaria Municipal de Ações Sociais da Prefeitura de Corumbá.

Segundo Lielza Molina, do Núcleo de Vigilância de Doenças e Agravos não Transmissíveis, a intenção é capacitar estes profissionais sobre as ações de controle e combate ao tabagismo, além de outros fatores de risco do câncer nas escolas da REME.

Além disso, vai permitir a formação de multiplicadores para desenvolvimento de ações específicas na área do tabagismo que formarão equipes para atuar em escolas, empresas e na comunidade, bem como qualificar os profissionais na abordagem adequada ao fumante e na promoção de ações educativas dentro das unidades de trabalho.

O curso está programado para os dias 22 e 23 no Espaço Educacional. O primeiro dia será destinado a médicos e enfermeiros, divididos em dois grupos. Das 08h às 12h, participam os profissionais dos Centros de Saúde da Popular Velha, Fernando Moutinho I, Kadwéus, Mato Grande, Breno de Medeiros I, Taquaral, Gastão De Oliveira I, Luis Fragelli, Breno de Medeiros, Ladeira, Pronto Socorro, Caps José Fragelli, CCZ, Cerest, CEO e Conselho Municipal de Saúde.

Já no período da tarde, das 14h às 18h, a oficina será oferecida a profissionais do São Bartolomeu, Fernando Moutinho II, Nova Corumbá, Breno de Medeiros II, Enio Cunha, Dom Bosco, Beira Rio, Gastão de Oliveira II, Aeroporto, Fernando Moutinho, Kadwéus, Hemonúcleo, CapsAd, Centro de Saúde da Mulher, Centro Integrado de Saúde, Farmácia Popular e João de Brito.

Na quinta-feira, dia 22, das 14h às 18h, a oficina será oferecida a diretores das escolas Almirante Tamandaré, Ângela Maria Perez, Barão do Rio Branco, Caic, Cássio Leite de Barros, Cyríaco Félix de Toledo, Clio Proença, Delcidio do Amaral, Fernando de Barros, Izabel Correa de Oliveira, José de Souza Damy, Luis Feitosa Rodrigues, Ludovina Porto Carreiro, Pedro Paulo de Medeiros, Rachid Bardauil, Tilma Fernandes Veiga, Porto Esperança, Paiolzinho, Carlos Carcano, Eutropia Gomes Pedroso, Luis Albuquerque e Monte Azul.

Tabagismo

No Brasil, estima-se que cerca de 200.000 mortes por ano são decorrentes do tabagismo. Os dados são da Organização Pan-americana de Saúde de 2002.

De acordo com o Inquérito Domiciliar sobre Comportamentos de Risco e Morbidade Referida de Doenças e Agravos Não Transmissíveis , realizado em 2002 e 2003, entre pessoas de 15 anos ou mais, residentes em 15 capitais brasileiras e no Distrito Federal, a prevalência de tabagismo variou de 12,9 a 25,2% nas cidades estudadas. Os homens apresentaram prevalências mais elevadas do que as mulheres em todas as capitais.

Em Porto Alegre, encontram-se as maiores proporções de fumantes, tanto no sexo masculino quanto no feminino, e em Aracaju, as menores.

Essa pesquisa também mostrou que a concentração de fumantes é maior entre as pessoas com menos de oito anos de estudo do que entre pessoas com oito ou mais anos de estudo.

Em relação à prevalência de experimentação e uso de cigarro entre jovens, de acordo com estudo realizado entre escolares de 12 capitais brasileiras, nos anos de 2002-2003 (Vigescola ) a prevalência da experimentação nessas cidades variou de 36 a 58% no sexo masculino e de 31 a 55% no sexo feminino, enquanto a prevalência de escolares fumantes atuais variou de 11 a 27% no sexo masculino e 9 a 24% no feminino.