Coletivo Educador envolve comunidade de Albuquerque

O Coletivo Educador, um projeto do Ministério do Meio Ambiente desenvolvido pelo Cidema (Consórcio Intermunicipal para o Desenvolvimento Integrado das Bacias dos rios Miranda e Apa) em Mato Grosso do Sul, está atuando no distrito de Albuquerque, distante 70 km de Corumbá, formando educadores ambientais e discutindo ações sustentáveis para a região.

Neste sábado, a comunidade local estará participando da terceira reunião com técnicos do Cidema e da Prefeitura de Corumbá, por meio da secretaria executiva de Meio Ambiente (Sema), onde um dos assuntos em pauta é transformar a baia de Albuquerque em unidade de conservação. Depois de identificar os líderes locais e formar os educadores ambientais, o projeto discute os anseios da comunidade.

A reunião no distrito será realizada de 8h às 16h, na Escola Pólo Luiz Albuquerque de Melo Pereira e Cáceres, com a participação das associações locais, Embrapa Pantanal e Associação Amor Peixe. A engenheira florestal Paula Cristina Lima Neto, da Semac, falará sobre unidades de conservação. O projeto conta com o apoio da secretaria executiva de Educação,  Imasul e J. Inhuma Hotel.

Pesca predatória

A educadora ambiental  Lenir Alencar Peinado, da  Semac, informou que nesta reunião será apresentado um diagnóstico sócio-ambiental que aponta as reivindicações da comunidade, dificuldades de expansão de algumas atividades e crimes ambientais, como a pesca predatória na baia. A criação da unidade de conservação é uma luta também do setor de turismo, segundo a técnica.

O levantamento foi feito pelo Coletivo Educador de Corumbá, formado pela Semac, Faculdade Salesiana Santa Teresa e comunidade. Outro tema do encontro, que terá a participação dos artesãos do distrito, será o relato de experiências em associativismo de Corumbá. O projeto Coletivo Educador visa fortalecer pequenos pólos, por meio de cursos, oficinas e intervenções na comunidade.