Albuquerque discute melhor qualidade ambiental

 Prefeitura de Corumbá

  
Em Albuquerque, moradores querem transformar baia em unidade de conservação

A comunidade de Albuquerque, distrito localizado a 70 km de Corumbá, está se mobilizando, com o apoio da Prefeitura e de organizações não-governamentais, para defender a preservação da Baia dos Periquitos e a melhoria da qualidade de vida. A organização dos moradores será essencial para agregar valor à produção local, como o artesanato e o peixe, e fortalecer a atividade pesqueira.

Albuquerque foi contemplado pelo projeto Coletivo Educador, do Ministério do Meio Ambiente, que está sendo desenvolvido no Estado pelo Cidema (Consórcio Intermunicipal para o Desenvolvimento Integrado das Bacias dos rios Miranda e Apa), com o apoio das prefeituras. O projeto foca a formação de educadores ambientais, o associativismo e ações sustentáveis para desenvolver a região.

Neste final de semana, o Coletivo Educador de Corumbá promoveu uma reunião com as lideranças comunitárias do distrito, com a participação das secretarias municipais de Meio Ambiente e Educação. O encontro realizado na Escola Pólo Luiz Albuquerque de Melo Pereira e Cáceres colheu as propostas da população e apresentou experiências de associativismo bem sucedidas.

O principal anseio da comunidade é transformar a Baia dos Periquitos (ou Baia de Albuquerque) em unidade de conservação. Os moradores reclamam que a pesca predatória está ameaçando a baia, considerada um “berçário” da fauna ictiológica. A pauta de reivindicações será discutida em reunião estadual do Coletivo Educador e encaminhada aos órgãos governamentais.

Associativismo

Membro do Coletivo Educador, o administrador de pousada Natanael Amarilha de Freitas disse que o envolvimento da comunidade vai melhorar a qualidade ambiental da região, beneficiando o turismo, uma das principais atividades econômicas, e criando uma maior consciência ecológica. “A organização comunitária vai melhorar também a renda de quem trabalha com produtos da terra’, diz ele.

O artesanato é uma das atividades que será beneficiada com o associativismo. Os artesãos locais serão capacitados pela Associação Amor Peixe, de Corumbá. A entidade formada por mulheres participou da reunião do Coletivo Educador, apresentando a sua experiência organizacional. A concepção de organização comunitária foi apresentada por Adalgiza Campolin, da Embrapa Pantanal.

Relatório

A Associação de Catadores de Material Reciclável de Corumbá também relatou aos albuquercanos a melhoria da qualidade de vida de seus membros após se organizarem. A engenheira florestal Paula Cristina Lima Neto, da secretaria executiva de Meio Ambiente (Semac), abordou os mecanismos para se criar uma unidade de conservação, maior anseio da comunidade.

A educadora ambiental  Lenir Alencar Peinado, da  Semac, apresentou o relatório da comissão do Coletivo Educador em viagem de reconhecimento da Baia dos Periquitos, que norteará a proposta de criação da unidade de conservação. O levantamento foi feito pelo Coletivo Educador de Corumbá, formado pela Semac, Faculdade Salesiana Santa Teresa e lideranças da comunidade.