Oficina de Dança apresenta espetáculo Corpoema na praça

 Foto: Marcos Boaventura

  
Em dezembro de 2007, espetáculo encantou público corumbaense

A Oficina de Dança de Corumbá integra a programação dos 230 anos de Corumbá, com o espetáculo Corpoema. A apresentação está marcada para o dia 11 de setembro, próxima quinta-feira, a partir das 19h, no palco da Praça Generoso Ponce.

Com estilo voltado para a dança contemporânea, baseado na poesia de Manoel de Barros, o espetáculo mostra através de movimentos coreográficos como a linguagem da dança consegue captar a simbologia e riqueza de sensações que só os olhares do poeta conseguem observar e transformar em poemas.

Com 26 bailarinos, coreografia e direção de Chico Neller, trata-se do primeiro espetáculo de dança produzido em Corumbá com enfoque na vida e na obra do grande poeta. Elaborado com a intenção de contribuir para a divulgação da cultura pantaneira, como meio de recuperar e preservar a memória de um dos nossos maiores ícones.

Aplaudido

O espetáculo Corpoema já recebeu elogios e agradou em cheio o público na sua primeira apresentação em Corumbá. Foi em dezembro de 2007, durante a programação do Ritmo de Natal – Arte de Corumbá, quando professores e alunos da Oficina de Dança da Fundação de Cultura do Pantanal fizeram uma bela apresentação na Praça Generoso Ponce.

A apresentação durou 50 minutos. Aliou a dança ao ritmo instrumental, teatro e muita poesia, todas focando a Cidade Branca, sua flora e fauna, o rio Paraguai, a região de morraria, toda a riqueza e beleza estampadas nos livros de Manoel de Barros, tão bem interpretadas pelo ator Arce Corrêa.

Arce Corrêa incorporou um personagem folclórico corumbaense, o ‘Bola Sete’. Interagiu de maneira única com o público não só durante o espetáculo. Vestido a ‘caráter’, conduzindo um ‘cachorrinho imaginário’, passeou entre a platéia presente, pelas cadeiras e pelas arquibancadas.

Entre uma ‘cambaleada’ e outra, como ‘Bola Sete’ andava pelas ruas da cidade durante seus ‘porres folclóricos’, soltava gritos de ‘guerra’, rebolava, afirmando que é assim “que eu danço”, chamando a atenção de seu ‘cachorrinho imaginário’. Esta foi a abertura do show que os dançarinos e ele próprio haviam reservado para quem esteve na praça Generoso Ponce naquela noite.

Relembrando

Luzes da praça apagadas. ‘Bola Sete’ sobe a escada que ligava o palco às cadeiras, e dá início ao espetáculo. Em um canto, estrutura metálica lembrava uma árvore, repleta de ‘aves da região’, representadas pelos bailarinos da Oficina de Dança. No solo, ‘animais pantaneiros’ reverenciados nos livros de Manoel de Barros. Ao lado do palco, o rio Paraguai com suas águas lambendo a terra branca.

Aquela noite, sem dúvida alguma, foi diferente. Corpoema, coreografada e dirigida por Chico Neller, profissional renomado e premiado nacionalmente, foi simplesmente “fantástica, maravilhosa” como bem resumiu na época, a primeira-dama do município e secretária especial de Integração das Políticas Sociais, Beatriz Cavassa de Oliveira.

Corumbá tem talentos

O público aplaudiu de pé, por cerca de cinco minutos, ao final da apresentação. No palco, artistas da Oficina de Dança, reforçados pelos bailarinos Gustavo Lorenzo e Júlio dos Santos, do Grupo Ginga, e Arce Corrêa, comandados pelo coreógrafo Chico Neller e pelo diretor geral do espetáculo, Joilson Silva da Cruz, coordenador da Oficina. Foi o reconhecimento ao espetáculo proporcionado pelo grupo, que marcava o encerramento do ano da Oficina de Dança.

Joilson, emocionado, agradeceu Chico Neller. Disse que ele proporcionou um presente maravilhoso a todos os corumbaenses. Sobre o espetáculo, apenas uma referência: “Corumbá merece. Corumbá tem talentos…”.

No dia 11 de setembro, todos terão a oportunidade de reviver o espetáculo que, dessa vez, será apresentado a um público maior, inclusive do exterior.

Oficina de Dança

Criada pela Fundação de Cultura do Pantanal de Corumbá, em 1999, a Oficina de Dança tem o objetivo de resgatar a cultura pela arte do movimento. O projeto, que atende 600 crianças, adolescentes, jovens e adultos anualmente, é mantido pela Prefeitura Municipal de Corumbá, através da Secretaria de Promoção e Cidadania e Fundação de Cultura do Pantanal de Corumbá.

A Oficina já representou a cultura pantaneira, sul-mato-grossense e corumbaense em diversas cidades do estado e em outras unidades da federação.