Corumbá quer vacinar 10,5 mil crianças contra paralisia

A Prefeitura de Corumbá está com 20 postos de vacinação à disposição da população durante todo o dia de amanhã, sábado, para a realização da segunda etapa da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite.

Os trabalhos serão desenvolvidos pela Secretaria Executiva de Saúde Pública, que disponibilizará, como na primeira etapa da campanha, no dia 14 de junho, uma unidade volante para percorrer o hospital, maternidade, pediatria, presídio feminino e clínicas existentes na cidade.

A meta é vacinar 10.559 crianças com até cinco anos de idade contra a paralisia infantil. A imunização será realizada entre 08h e 17 horas. A campanha é apontada de extrema importância, principalmente para evitar que a paralisia infantil volte atingir as crianças brasileiras, em especial, as corumbaenses.

No Brasil, a doença foi erradicada há 18 anos. O setor de Saúde Pública alerta sobre a necessidade da apresentação do cartão de vacinação.

O que é?

A poliomielite ou paralisia infantil, como é mais conhecida, é uma doença infecto-contagiosa viral aguda que se manifesta de diversas formas. O quadro clássico é caracterizado por paralisia flácida de início súbito e acomete geralmente os membros inferiores. Em algumas pessoas a doença pode levar a paralisia dos músculos respiratórios e da deglutição: situação que deixa a vida do paciente ameaçada.

Ocorre principalmente por contato direto entre pessoas, pelas vias fecal-oral ou oral-oral. A transmissão oral-oral ocorre através de gotas contaminadas que saem da boca ao falar, tossir ou espirrar. A falta de saneamento básico e o elevado número de crianças morando em uma mesma residência favorecem a transmissão do poliovírus.

As manifestações clínicas são variáveis, desde infecções sem sintomas ou sinais até quadros de paralisia severa, levando à morte. Somente as formas paralíticas apresentam manifestações como instalação súbita da deficiência motora, acompanhada de febre; assimetria, comprometendo a musculatura dos membros e flacidez muscular; com diminuição ou abolição de reflexos na área paralisada.

Não existe tratamento específico, mas todos os casos com manifestações clínicas devem ser internados para acompanhamento médico.

A única medida eficaz para manter erradicada a circulação do poliovírus é a vacinação. No Brasil é realizada anualmente uma Campanha Nacional de Imunização para vacinar crianças com até cinco anos de idade, o que aumenta a cobertura contra a poliomielite. (Fonte: Centro Nacional de Epidemiologia- Ministério da Saúde)