Vacinação de adultos contra a rubéola começa dia 09

A Secretaria Executiva de Saúde Pública inicia no dia 09 de agosto a imunização de adultos contra a rubéola em Corumbá. A meta é imunizar 32.261 pessoas contra a doença, sendo 16.262 homens e 16.199 mulheres. Para a abertura dos serviços será utilizada a estrutura montada para a segunda etapa da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite, que começa no mesmo dia.

No sábado, dia 09, a imunização de adultos, entre 20 e 39 anos, será oferecida nos 20 postos montados para vacinação de crianças – até cinco anos – contra a paralisia infantil no horário das 08h às 17h. A vacina contra a rubéola seguirá durante todo o mês e terá o Dia D (definido pelo Ministério Saúde) no sábado, 30 de agosto, quando 15 unidades de saúde funcionarão em Corumbá, no período das 08h às 17 horas, para a Campanha Nacional de Vacinação para Eliminação da Rubéola. Gestantes e pessoas que foram vacinadas há menos de trinta dias estão isentas da vacinação contra rubéola.

No Brasil, o Ministério da Saúde pretende imunizar 70 milhões de pessoas, de ambos os sexos, contra a doença. Nos últimos dois anos, houve surtos de rubéola de forma dispersa em todo o país, uma ameaça à população ainda não vacinada. Em 2007, foram registrados 8.407 casos no Brasil, sendo 161 em mulheres grávidas o que resultou em 20 recém-nascidos com Síndrome da Rubéola Congênita – SCR (cegueira, surdez, retardo mental e cardiopatias, entre outras seqüelas).

A única alternativa para conter o avanço de casos, surtos e a SRC é a vacinação indiscriminada de homens e mulheres. O alvo principal é a população de sexo masculino. Em anos anteriores, foram mulheres e crianças. A faixa etária mais atingida é a de 20 a 34 anos de idade e 70% dos casos confirmados ocorreram entre os homens.

O que é?

A rubéola é uma doença infecto-contagiosa causada pelo vírus do gênero Rubivírus, família Togaviridae. Na maioria das vezes, a infecção pós-natal é subclínica, não produzindo sintomas. Quando presentes, os principais são: febre baixa, manchas avermelhadas na pele (exantema), ínguas na região do pescoço (inchaço dos gânglios linfáticos), perda de apetite, dor de cabeça, dores articulares e/ou musculares, coriza e tosse. É transmitida por contato direto com uma pessoa infectada ou com secreções do nariz ou boca do doente. A vacinação é única forma de prevenir a doença. (Com informações do Ministério da Saúde).