Saúde mobiliza comunidade para vacinação contra rubéola

 Prefeitura de Corumbá

  

 Reunião discutiu ações para campanha de vacinação contra rubéola

A campanha de vacinação contra a rubéola foi detalhada para representantes de diversos segmentos sociais de Corumbá na manhã desta quinta-feira, 31 de julho, durante uma reunião no auditório da Secretaria Executiva de Educação. A iniciativa tem o objetivo de conscientizar a comunidade sobre a importância da imunização. A meta é vacinar 32.261 pessoas, entre 20 e 39 anos, contra a doença na cidade.

De acordo com a Secretaria Executiva de Saúde Pública, é necessário que toda a população abrace a causa para que a meta estipulada seja 100% cumprida no município. A estratégia para alcançar o índice definido é disponibilizar amplamente as doses da vacina.

A vacinação de adultos contra a rubéola terá início no sábado, 09, de agosto, quando será oferecida em 20 postos de saúde juntamente com as doses da vacina Sabin, durante a campanha contra a paralisia infantil. A imunização seguirá durante todo o mês e terá o Dia D (definido pelo Ministério Saúde) no sábado, 30 de agosto, quando 15 unidades de saúde funcionarão em Corumbá, no período das 08h às 17 horas, para a Campanha Nacional de Vacinação para Eliminação da Rubéola.

A Secretaria de Saúde ainda vai levar a vacinação a setores específicos, como quartéis e empresas privadas, por exemplo. Uma preocupação é conscientizar o público masculino que deve tomar a vacina. Dentro da meta estipulada, o objetivo é imunizar 16.262 homens e 16.199 mulheres. O alvo principal é a população de sexo masculino. Em anos anteriores, foram mulheres e crianças. A faixa etária mais atingida é a de 20 a 34 anos de idade e 70% dos casos confirmados ocorreram entre os homens.

Síndrome da Rubéola Congênita

Nos últimos dois anos, houve surtos de rubéola de forma dispersa em todo o país, uma ameaça à população ainda não vacinada. Em 2007, foram registrados 8.407 casos no Brasil, sendo 161 em mulheres grávidas o que resultou em 20 recém-nascidos com Síndrome da Rubéola Congênita – SCR (cegueira, surdez, retardo mental e cardiopatias, entre outras seqüelas). A única alternativa para conter o avanço de casos, surtos e a SRC é a vacinação indiscriminada de homens e mulheres.

O custo do tratamento de uma criança com Síndrome da Rubéola Congênita (SCR) é estimado em mais de 200 mil dólares anuais; além disso, os maiores gastos referem-se à vida de uma pessoa com algum grau de deficiência (cegueira, surdez, retardo mental e cardiopatias graves, entre outras), sendo que existe uma vacina segura e eficaz que pode evitar tudo isso. 

O que é?

A rubéola é uma doença infecto-contagiosa causada pelo vírus do gênero Rubivírus, família Togaviridae. Na maioria das vezes, a infecção pós-natal é subclínica, não produzindo sintomas. Quando presentes, os principais são: febre baixa, manchas avermelhadas na pele (exantema), ínguas na região do pescoço (inchaço dos gânglios linfáticos), perda de apetite, dor de cabeça, dores articulares e/ou musculares, coriza e tosse. É transmitida por contato direto com uma pessoa infectada ou com secreções do nariz ou boca do doente. A vacinação é única forma de prevenir a doença.