Projeto da área de saúde ganha prêmio em Campo Grande

O Projeto Toque de Vida foi premiado pelo Governo do Estado, durante evento comemorativo aos 10 anos de implantação do Estratégia de Saúde da Família. Desenvolvido por servidoras da Secretaria Executiva de Saúde da Prefeitura de Corumbá, ficou em primeiro lugar a nível estadual, merecendo elogios do governador André Puccinelli, que destacou o município, afirmando que, gradativamente, tem apresentado suas potencialidades.

O projeto foi apresentado durante o painel “Estratégia de intensificação de detecção precoce do câncer de mama e colo uterino no período noturno, em Campo Grande, com a presença também da secretária estadual de Saúde, Beatriz Dobashi. Foi desenvolvido pelas servidores Dilene Ebeling Botega, Letícia Schutz Pereira e Verônica Fabíola Rozisca.

Foi colocado em prática durante o mês de novembro de 2007 em três unidades de saúde, que tiveram seus horários ampliados para a coleta dos exames Citopatológico e Clínico da Mama. O horário alternativo foi o noturno, para possibilitar que as mulheres, com dificuldades para realizar os exames durante o horário comercial, tivessem uma opção para fazê-lo em outro período.

Neste projeto piloto três unidades de saúde ofereceram o serviço de coleta dos exames citopatológico e ECM, no período noturno. O critério de seleção das unidades baseou-se na localização estratégica, unidade que funciona como Pronto Atendimento Noturno e densidade demográfica.
Segundo a enfermeira Dilene, uma das unidades foi o Centro de Saúde da Mulher, bastante conhecido pela população e por ser referencia no atendimento a mulher, nestes tipos de exames, e pela sua estrutura. Já as unidades Pronto Atendimento Noturno Paulo Maissato e Fernando Moutinho, foi pela otimização do espaço e horário de funcionamento (18h às 23h).

Durante as quatro semanas foram realizados 137 exames citopatológicos no Centro de Saúde da Mulher, 38 exames no Pronto Atendimento Noturno Unidade Fernando Moutinho e 23 no Pronto Atendimento Noturno Unidade Paulo Maissato. Totalizando em 198 coletas com média de 66 coletas/mês. No município as Unidades Básicas de Saúde realizam em média 22 coletas de Citopatológico mensais.

“O resultado do projeto piloto foi uma experiência positiva, por superar em duas vezes a média mensal esperada”, comenta a enfermeira. No período, a grande maioria das mulheres que procuraram o serviço no horário alternativo, estava dentro da faixa estaria de 25 a 59 anos, idade considerada de risco pelo Ministério da Saúde.

“O projeto propiciou a motivação das mulheres a cuidarem de sua saúde, oportunizou o acolhimento à clientela feminina, melhorando a qualidade do atendimento à mulher. Demonstrou a possibilidade de aumentar a eficiência da rede de controle do câncer de colo uterino e de mama, através da oferta de serviços para prevenção e detecção em estágios iniciais da doença”, informou Dilene, responsável pela apresentação do painel em Campo Grande. Segundo ela, com o sucesso do projeto, a Secretaria Executiva de Saúde já está analisando a possibilidade de sua efetivação.