Prefeitura faz ação contra raiva em território boliviano

 Prefeitura de Corumbá

  
Vacinação contra raiva animal acontece hoje na Bolívia

Uma equipe da Prefeitura de Corumbá está realizando neste sábado, 12 de julho, vacinação contra a raiva animal na cidade de Puerto Quijarro, em território boliviano. A ação faz parte de uma estratégia para conter o avanço da doença em toda a região de fronteira. Os trabalhos estão sendo desenvolvidos pela Secretaria Executiva de Saúde Pública, em parceria com a Rede de Saúde da Província de German Bush.

A imunização de cães e gatos está acontecendo em 10 postos montados em Quijarro. Somente a Prefeitura de Corumbá deslocou 25 pessoas para a realização dos trabalhos que prosseguem até às 15h. O grupo está sendo auxiliado por oito pessoas disponibilizadas pela Rede de Saúde boliviana. Só neste sábado, a previsão é imunizar 1.500 animais.

Segundo a gerente de Vigilância em Saúde de Corumbá, Viviane Ametlla, a situação relacionada à raiva animal na Bolívia é preocupante. Ele lembra que, do lado brasileiro, as campanhas acontecem com freqüência, o que não ocorre em território boliviano.

Ressalta que o normal é a realização de uma campanha de vacinação ao ano. No entanto, diante da atual situação, considerada de risco, se deve realizar duas. “Corumbá faz a sua parte. Já na Bolívia, as dificuldades são inúmeras e não é realizado um trabalho com freqüência”, diz.

Fábio Vargas, técnico polivalente da Rede de Saúde de German Bush, concorda com a gerente. Para se ter uma idéia, ele é o único profissional que atua contra doenças endêmicas em Quijarro, Puerto Suarez e El Carmen. Demonstra confiança em um futuro melhor, a partir do momento em que se estabeleceu uma parceria com a Prefeitura de Corumbá, e a decisão dos prefeitos das cidades bolivianas de investir mais em infra-estrutura.

“De fato, já se nota uma maior preocupação. No ano passado, tivemos poucos casos notificados aqui. Agora, este número aumentou. Não é que hoje estão ocorrendo mais casos. É que, até 2007, as autoridades bolivianas não notificavam, não acompanhavam os casos de raiva animal como ocorre hoje”, diz Viviane.

Até mesmo a população está demonstrando uma mudança de comportamento. Em um dos dez postos de vacinação, um senhor, Amadeu Urupeza, foi o primeiro a chegar. Surpreendeu a equipe presente. Estava de carro e, no seu interior, cinco cachorros. Todos foram imunizados contra a raiva e Urupeza recebeu a cinco carteirinhas com os nomes de cada animal atendido.

Para Viviane, o exemplo de Amadeu deve ser seguido. Ela acredita que, somente com uma ampla campanha do lado boliviano, acompanhando as que ocorrem em Corumbá, é que a região ficará livre do vírus da raiva animal.