Corumbá participa de Feira de Pesca, Lazer e Turismo no Paraná

 Fotos: Prefeitura de Corumbá

  
Pescaria no rio Paraguai, atrativo para turistas até do exterior

Detentor de uma estrutura invejável, Corumbá está com presença confirmada na 1ª edição da Expo Turismo – Feira de Pesca, Lazer e Turismo, em Londrina, no Paraná. O evento acontece entre 27 e 31 de agosto e a Cidade Branca fará parte da estrutura que será montada pelo Governo do Estado, através da Fundação de Turismo.

A presença de Corumbá se deve ao fato de ser detentor de um dos melhores destinos de pesca do País. Está em franca ascensão, atraindo grupos de turistas não só do Brasil, mas também do exterior, principalmente durante este período de alta temporada.

Hoje, devido a abundância e diversidade das espécies de peixes do rio Paraguai, a pesca esportiva é uma das maiores atividades econômicas da cidade. Para fazer frente, o município conta com uma estrutura integrada por 33 barcos hotéis, que somam mais de 600 leitos, preparados para zarpar a qualquer hora do dia ou da noite.

Nesta frota existem barcos com a maior variação em relação a números de acomodações, dando opções para os pescadores ou turistas formarem seus grupos a partir de 8 a 108 pessoas; é só formar o grupo e entrar em contato com a agência caso já conheça, ou a Secretaria Executiva de Turismo de Corumbá, que informará o barco compatível com o seu grupo.

A frota é submetida a uma rigorosa vistoria efetuada pela Capitania dos Portos do Pantanal de Mato Grosso do Sul. A vistoria em seco inspeciona os cascos das embarcações, e a vistoria flutuando inspeciona segurança, salvatagem, máquinas, combate a incêndio, luzes de navegação e rádio comunicação.

  
Cidade oferece estrutura e pesca em família cresce

Quanto ao conforto, os barcos oferecem um pacote de cinco dias, em que estão inclusos camarotes com banheiro privativo, ar condicionado, alguns com frigobar, refeitório com ar condicionado, TV, DVD, karaokê, aparelho de som, antena parabólica e bar.

A maioria dos barcos são equipados com telefone via satélite, esteiras ou bicicleta ergométrica; oferecem pensão completa, serviço de bar com bebidas em gerais, tira-gostos como a isca de peixe – a mais pedida, além de refeições, geralmente típicas da região com vários cardápios.

Água tratada, bote de alumínio de seis metros para dois pescadores e um piloteiro, motor de popa de 25 a 40 HP (horse power). Isopor com bebidas, refrigerantes, água mineral, salames, queijos, presuntos e pão: este é o lanche quando a pescaria é no bote.

A Feira

Além de Corumbá, integrará o estande de Mato Grosso do Sul os municípios de Porto Murtinho e Coxim. A Fundação deve levar Mato Grosso do Sul como um todo, inclusive a região de Bonito – Serra da Bodoquena. O estande na feira estará aberto a empresários e consumidores com material de divulgação e exposição dos destinos. O norte do Paraná é um grande emissor de turistas para o Estado.

O objetivo da feira é divulgar os pontos turísticos de todo o Brasil relacionados ao ecoturismo, empresas hoteleiras, atividades pesqueiras, atividades de exploração de trilhas ecológicas, produtos náuticos, energia alternativa voltada para o lazer e até incorporadoras e imobiliárias do setor de loteamentos rurais.

O público poderá ainda participar de um ciclo de palestras sobre a preservação do meio ambiente. As palestras terão temas como pesquisas em biodiversidades dos fatores energéticos e seus substitutos naturais (ecologicamente corretos), efeito estufa, mudanças do clima em nosso planeta e soluções voltadas para a educação ambiental.

A estimativa de público é de 30 mil pessoas. Cerca de 80% dos estandes já foram comercializados. O evento acontece no Catuaí Shopping, em Londrina, das 15 às 22 horas e no sábado e domingo, das 14 às 22 horas. A entrada é gratuita. Mais informações pelo site http://www.pescalazereturismo.com.br .

Pescaria legal

Conscientizando a população para a preservação dos cardumes da região do Pantanal, a Secretaria de Estado de Meio Ambiente, das Cidades, do Planejamento, da Ciência e Tecnologia (Semac) estabeleceu a cota do pescado para este ano em 10 kg de pescado mais um exemplar de qualquer peso de peixes, mais cinco piranhas, para cada pescador amador.

Os pescadores devem obedecer ao tamanho mínimo e à cota para captura das espécies, respeitar o período da Piracema, e passar, depois da pesca, pelos postos da PMA (Polícia Militar Ambiental) para declarar e lacrar o produto e receber a guia de controle de pescado.

O pescador ainda tem que obter a Autorização Ambiental para Pesca Desportiva, disponível do site do Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul), no link http://www.imasul.ms.gov.br/boleto/index.htm , ou nas agências do Banco do Brasil. (Com informações da Segov)

  
Em pleno Pantanal, Corumbá possui estrutura invejável