Notícias Notícias

 

Com graça e beleza, Acadêmicos do Pantanal relembra legado da Império

12 de Fevereiro de 2018 - 02h01

Musa do carnaval corumbaense, Carol Duarte veio como madrinha de bateria (Foto: Clóvis Neto) Musa do carnaval corumbaense, Carol Duarte veio como madrinha de bateria (Foto: Clóvis Neto)

Penúltima a desfilar, já na madrugada de segunda-feira, 12 de fevereiro, a Acadêmicos do Pantanal homenageou a mais antiga escola de samba de Corumbá, a Império do Morro, que completa 60 anos de criação agora em 2018. Com o enredo “A Pantanal é verde e rosa e celebra 60 páginas de glórias”, a escola cantou na avenida as seis décadas de tradição da Império, que vem enaltecendo a cultura corumbaense desde a sua fundação.

 

O ‘Amor de uma sambista por um humilde carpinteiro’ foi retratado pelos 12 componentes da Comissão de Frente, coreografada pelo Grupo Urbe. O carro abre-alas ‘império reino da folia fabrica de sonhos’ trouxe o tuiuiú símbolo da escola e o convite para desbravar cada página dos 60 anos de história da Império do Morro e seu símbolo máximo a coroa, que representa sua imponência e suntuosidade e as cores do seu manto verde e rosa.

 

Ala representa o começo da história, um livro de 60 páginas para contar sobre a escola mais antiga da cidade. Desfile ainda contou com alas “Izulina nas mãos o talento do artista”; e “O que move a humanidade”. Bateria representou Reis da Folia.

 

Segundo carro “Bendita sois vós entre as mulheres” exaltou as mulheres. Trouxe escultura de uma mulher negra segurando bebê, simbolizando a miscigenação e a importância feminina no mundo. Alas relembraram antigos enredos da verde e rosa corumbaense.

 

O Perfume deu nome a terceira alegoria. Perfume proporciona um agradável e duradouro aroma ao corpo humano. Tema foi enredo já defendido pela Império do Morro em carnavais passados.

 

Com carro “Água Fonte da Vida”, escola mostrou que sem a água não viveríamos. É um dos bens mais preciosos da natureza. Exaltou o rio Paraguai com suas lendas de minhocão, sua vasta extensão de peixes e vidas.

 

Ala das baianas com fantasia “anseio de alcançar liberdade, igualdade e fraternidade”, desfile lembrou o lema da Revolução Francesa e um dos enredos apresentado pela escola homenageada pelo desfile da Acadêmicos do Pantanal.

 

Com carro “Império 60 anos de honra, glória e tradição”, escola encerra desfile lembrando as seis décadas de alegrias proporcionadas pelas apresentações da Império do Morro no carnaval corumbaense.

 

Ficha Técnica


Fundação: 21 de julho de 2001

Presidente: Fernando Willian da Costa

Cores: verde, branco, azul e amarelo.

Carnavalesca: Jackelyny Pazzolyny e Cleverson Moraes

Enredo: A Pantanal E Verde E Rosa e Celebra 60 Paginas De Glorias

Samba-Enredo: A Pantanal E Verde E Rosa e Celebra 60 Paginas De Glorias

Compositor: Nino Smith e Adelmo Luiz

Puxador (ES): Levi Kelmo , Flavio do Cavaco ,Alex ,Lourenço e Jonatan

Cavaco: Dinarte e Hugo

Número de componentes: 800

Comissão de Frente: 12 componentes

Número de Alas: 12

Número de Carros Alegóricos: 5

Mestre de Bateria: Igor Medeiros

Componentes da Bateria: 100 ritmistas

Porta Bandeira: Lucia Baruki

Mestre-Sala: Marcio do Nascimento

Número de Baianas: 20

Rainha da Bateria: Carol Duarte


Voltar Imprimir Enviar Por Email

Notícias Outras Notícias

 

Campanhas Campanhas

 
Ouvidoria Geral
216-banner-ouvidoria-01